Jardel

Esquema de corrupção aconteceu logo que Jardel iniciou mandato, diz acusação (Foto: Marcelo Bertani | Agência ALRS)

RADAR / LANCE!
01/03/2016
15:38
Porto Alegre (RS)

O ex-jogador e atual deputado Jardel (PSD-RS) terá de responder judicialmente pelas acusações recentes de envolvimento em corrupção. Nesta segunda-feira, o procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Sul, Marcelo Lemos Dornelles, ofereceu denúncia ao Tribunal de Justiça do Estado nesta terça-feira ao ex-atacante e a outras dez pessoas.

O grupo foi investigado durante a Operação Gol Contra, que Ministério Público realiza desde novembro de 2015. Jardel é denunciado por participar de organização criminosa, utilizar de documento falso, concussão, peculato, lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores.

Segundo as acusações, entre os meses de fevereiro e novembro de 2015, o ex-jogador, o assessor parlamentar Christian Vontobel Miller, o chefe de gabinete Roger Antônio Foresta, o coordenador-geral de Bancada do PSD-RS, Ricardo Fialho Tafas, e o chefe de gabinete da liderança do PSD-RS, Francisco Demetrio Tafras participaram de fraudes. O intuito era obter vantagens econômicas a partir da prática de crimes contra a administração pública.

As irregularidades teriam começado já no primeiro dia de mandato de Jardel como deputado estadual, por meio de repasse de parte de salários e de verbas de servidores. O valor, segundo o MP, é estimado em R$ 212.203 75.

A lista de denunciados ainda aponta um traficante de drogas e funcionários fantasmas. A reportagem procurou nesta terça-feira a assessoria de Jardel, mas não houve resposta. Jardel iniciou carreira no Vasco e se consagrou no Grêmio, mas teve boas passagens por Porto, Sporting, Galatasaray (TUR), Goiás, Criciúma e encerrou sua carreira no Al-Taawon (SAU), em 2011.