Rubens Lopes durante Assembleia Geral da Ferj (Foto: Úrsula Nery/Divulgação)

Rubens Lopes diz que não vê boa vontade na postura atual de Flamengo e Fluminense (Foto: Úrsula Nery/Divulgação)

RADAR / LANCE!
19/01/2016
17:23
Rio de Janeiro (RJ)

O presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Fferj), Rubens Lopes, alertou que Flamengo e Fluminense podem sofrer punições caso entrem em campo pela Primeira Liga. Em entrevista nesta terça-feira, à Rádio Brasil, o dirigente destacou que as sanções não se restringirão à categoria profissional dos respectivos clubes:

- Não podemos proibir a participação no campeonato de profissionais. Eles sofrerão uma sanção pecuniária. Além de uma multa considerável, que corresponde a um valor da cota de TV, estarão proibidos de participar das categorias de base totalmente se cometerem a ilegalidade desportiva.

Rubens Lopes detalhou as razões pelas quais Flamengo e Fluminense podem vir a sofrer punições caso entrem em campo a partir do dia 27 de janeiro, pela Primieira Liga:

- A Liga é constituída como personalidade jurídica, mas desportivamente, ainda não existe. Os clubes não cumpriram o que a CBF determina. Para 2017, está clara a possibilidade de competição, e teremos uma grande possibilidade de realizar em paralelo ao Estadual.

O dirigente explicou a razão de a dupla Fla-Flu não ser excluída do Campeonato Carioca é evitar problemas para a sequência dos clubes na temporada:

- Não deixam de disputar, pois o estatuto da CBF 79 diz que o clube que não participar de uma competição estadual fica automaticamente impedido de participar de qualquer competição nacional ou internacional:

Em seguida, Rubens Lopes disse que a Fferj está disposta a um diálogo com Flamengo e Fluminense, desde que os clubes reflitam sobre o assunto. O mandatário ratificou que não aceitará uma "ditadura da minoria"

- A federação sempre esteve aberta. Não pode é aceitar uma ditadura da minoria, ou isso é anarquia. Não vemos boa vontade em Fla e Flu acordo só é possível desde que se aceitem todas as suas imposições. Exemplo disso, o presidente do Fla entregou documento à CBF para que ela autorizasse o clube a jogar o estadual com a equipe completa. Isso é inaceitável! Estamos abertos ao dialogo, mas defendendo a manutenção da legalidade e da hierarquia.