Botafogo x Vasco

(Foto: Paulo Sérgio/Lancepress!)

Igor Siqueira
02/05/2016
18:55
Rio de Janeiro (RJ)

Botafogo e Vasco pagaram o preço da articulação em cima da hora para que o Maracanã fosse palco da final do Carioca-2016. Os clubes faturaram menos no primeiro jogo da decisão deste ano na comparação feita com a final de 2015 - disputada pelos mesmos times. Isso foi consequência do fato de o custo do jogo ter subido 13,3% de um ano para o outro, valor superior à inflação oficial, de 10,67% em 2015.

Como mostra o borderô publicado pela Ferj (que precisou assumir a negociação pela organização do jogo, já que não foi encontrada uma alternativa do mesmo porte do Maracanã - entregue ao Comitê Olímpico Internacional), o total de despesas do jogo de domingo bateu a marca de R$ 1.341.769,38, mesmo sem o pagamento do aluguel do estádio, como aconteceu em 2015. Ano passado, o custo do jogo de ida foi R$ 1.184.364,86.

A receita líquida neste ano foi de R$ 498,6 mil enquanto no ano passado o mesmo item valeu R$ 760 mil. Botafogo e Vasco, por consequência, embolsaram menos grana na decisão: R$ 240 mil para cada um. Em 2015, eles ficaram com R$ 366,7 mil.

É claro que é preciso levar em conta que a receita bruta de bilheteria foi menor em 2016 (R$ 1,84 milhão agora, contra R$ 1,94 milhão ano passado). Mas os números confirmam o rendimento proporcional menor de um ano para o outro. Cada clube em 2015 ficou com 18% da receita bruta. Em 2016, 13%.


Vários itens do borderô são a razão do aumento de gastos no jogo. Segundo as informações vindas da Ferj, as empresas envolvidas aproveitaram a proximidade do jogo para elevar os preços. O discurso na Federação é que o jogo custaria ainda mais.

Mas o fato é que, por exemplo, o item "custo operacional" saltou de R$ 311 mil para R$ 531 mil de um ano para o outro. É preciso levar em conta que a concessionária que administra(va) o Maracanã absorvia alguns desses custos, justificando o pagamento do aluguel.

Outro salto que chama atenção é no item "ingresso promocional": em 2015, R$ 60 mil. Em 2016, R$ 235 mil. As despesas gerais de cada clube, que ficam discriminadas no borderô, mais do que dobraram: salto de R$ 20 mil para R$ 50 mil.

O jeito para os clubes vai ser tentar tirar a diferença no segundo jogo, domingo, no mesmo Maracanã.