Campeonato Paulista - Corinthians x São Paulo (foto:Miguel Schincariol/LANCE!Press)

Tite levou a melhor sobre Bauza no Majestoso (Foto: Miguel Schincariol/LANCE!Press)

Lucas Pastore
15/02/2016
07:55
São Paulo

Depois de perder os titulares Gil, Ralf, Renato Augusto, Jadson, Malcom e Vagner Love, Tite disse que os corintianos teriam de ter calma durante a fase de remontagem da equipe. Mas talvez a Fiel será a torcida que menos terá sua paciência testada entre os grandes do estado neste começo de temporada. Nesse domingo, o Timão venceu o São Paulo por 2 a 0, na Arena Corinthians, e é o único com 100% de aproveitamento em quatro rodadas de Campeonato Paulista.

Mesmo com as baixas, Tite manteve o 4-1-4-1 e a filosofia de 2015. Começou o ano com os reservas do ano passado, acostumados às teorias do treinador, como titulares. Enquanto isso, novas caras do elenco, como os contratados Vilson, Giovanni Augusto, Guilherme e André e o promovido Maycon têm tempo para se adaptarem aos poucos.

O resultado é um Corinthians que, em campo, sabe muito melhor o que fazer do que os rivais. O São Paulo, por exemplo, perdeu Rogério Ceni, Pato e Luis Fabiano e deve, a princípio, ter dificuldades até se adaptar ao estilo de Edgardo Bauza.

O Santos também perdeu em termos de qualidade. A posição que foi de Robinho, Geuvânio e Marquinhos Gabriel em 2015 agora vê Paulinho e Patito como candidatos à titularidade. Além disso, o Peixe, que empatou por 3 a 3 com o Novorizontino, fora de casa, no sábado, precisa encontrar motivação para voltar a imprimir seu futebol de velocidade, intensidade e ofensividade após a derrota para o Palmeiras na final da Copa do Brasil do ano passado.

O Verdão, por fim, é o caso mais difícil de ser entendido. No embalo do título e com elenco reforçado, o time não consegue apresentar um bom futebol sob o comando de Marcelo Oliveira. Seja com os titulares ou com os reservas – que perderam no Allianz Parque por 2 a 1 para o Linense no sábado, de virada – o treinador não consegue achar um padrão para seu time e já começa a ser pressionado pela torcida.

O trabalho de Tite é modelo para quem quiser achar esse padrão.