Nova Iguaçu

Paulo Henrique, Marquinhos, Jefferson e Schwenck são os líderes do Nova Iguaçu(Foto: Bernardo Gleizer/NIFC)

RADAR/LANCE!
11/03/2016
15:07
Nova Iguaçu (RJ)

O Nova Iguaçu inicia sua caminhada para voltar à Primeira Divisão do Campeonato Carioca neste sábado, quando recebe o Goytacaz, às 15h, no Estádio Laranjão. Será o primeiro passo na luta para retornar à elite do futebol do estado, onde o clube da Baixada Fluminense esteve nas últimas cinco temporadas.

Reconhecidamente um dos maiores clubes formadores do país, com direito a Certificado da CBF, o Nova Iguaçu não mediu esforços para poder fazer uma boa Série B do Carioca e alcançar o objetivo de subir. Com um planejamento bem detalhado e executado, reforçou o elenco com peças experientes, além de manter jogadores importantes das últimas campanhas e de fortalecer a base.

Entre os atletas que ficaram estão o goleiro Jefferson e o volante Paulo Henrique, com muitos anos de casa. Lideranças do grupo, eles se juntam a outros dois jogadores com uma bonita história no clube: o volante Marquinhos, maior artilheiro e que participou dos dois acessos, em 2005 e 2010; e o atacante Schwenck, formado no clube e principal nome do atual elenco.
 
Foram dois meses de pré-temporada, desde a reapresentação do elenco, no dia 12 de janeiro, com os treinos sempre sendo realizados no próprio CT. Nesse período, o Nova Iguaçu fez sete jogos-treino, e venceu todos: na ordem, Futuro Bem Próximo (5 a 1), Boavista (3 a 0), America (2 a 1), Rio São Paulo (4 a 0), Mesquita (1 a 0), Céres (3 a 0) e Gonçalense (2 a 0).
 
- Temos uma equipe qualificada, uma comissão técnica muito experiente e preparada. O clube fez todo o esforço para nos dar as melhores condições de trabalho possíveis. Os jogadores corresponderam durante a preparação, visto que ganhamos todos os amistosos. Sabemos da dificuldade, mas estamos preparados e temos a convicção de que sairemos vitoriosos na estreia - afirmou o goleiro Jefferson.
 
Acostumado a sempre utilizar bastante os jogadores oriundos das categorias de base, o Nova Iguaçu não fugiu da sua filosofia para esse ano. No entanto, ciente das dificuldades que vai enfrentar na Série B, reforçou-se com atletas experientes. Além dos já citados, chegaram o zagueiro Raphael Azevedo, ex-Bangu e Audax, o meia Felipe Itaguaí, ex-Portuguesa-RJ, e o atacante Quilder, ex-Camboriú (SC). Porém, do elenco de 29 jogadores, 16 tem menos de 22 anos.
 
No elenco, o clima é de muita ansiedade por começar logo a competição. Cientes do que o Nova Iguaçu representa no futebol do estado, os jogadores assumem que colocar o clube de volta na Primeira Divisão tem de ser encarado como uma obrigação. Principalmente para os remanescentes do ano passado, quando o clube acabou amargando o rebaixamento após disputar dois jogos decisivos contra o Boavista.
 
- É essa palavra mesmo, obrigação. Muitos me conhecem por já estar há um tempo aqui, o Jefferson também, e estamos sempre conversando sobre isso. Apesar de sermos experientes, nós sentimos também a queda, por estar aqui nos sentimos como um dos responsáveis. Temos uma dívida com o clube e se Deus quiser vamos pagá-la - afirmou o volante Paulo Henrique, capitão no ano passado.
 
- Ficamos muito tristes com o que aconteceu, mas fomos escolhidos pela diretoria para dar sequência. A confiança deles na gente é tão grande que hoje estamos liderando a equipe no projeto de levá-la de volta à Primeira Divisão. É uma responsabilidade que temos que também é dividida com os demais atletas. Por já termos uma história no clube, acabamos tomando um pouco mais à frente nas decisões. Todo o esforço que o clube fez para montar esse elenco será recompensado no final e tenho a certeza de que em julho estaremos felizes e dando a volta por cima - completou Jefferson.
 
Presente nos dois acessos do Nova Iguaçu, em 2005 e 2010, o volante Marquinhos também segue a linha de que subir o clube é uma necessidade que todos devem encarar. Maior artilheiro da história do clube, com 32 gols, e primeiro atleta a atingir a marca de 100 jogos com a camisa laranja, ele quer deixar o passado de lado e focar somente no acesso à Série A.
 
- História é passado, temos que fazer valer o presente, e o presente é subir o Nova Iguaçu. É claro que o passado é importante, construí uma história boa aqui e vou ficar marcado para sempre, vou poder contar para a minha filha, para os netinhos... Mas é passado, temos que construir um futuro melhor e esse futuro virá com o acesso - disse Marquinhos.
 
Durante a pré-temporada, além de muito trabalho, o que pôde se notar foi a união do grupo e o comprometimento de todos. Apesar da tensão e da ansiedade para a estreia, o clima no dia a dia foi sempre agradável. Por isso, até jogadores mais experientes e que já encararam enormes desafios compraram a briga. Schwenck, atacante com passagens por Botafogo, Cruzeiro, entre outros clubes, rejeitou propostas para ficar.
 
- Minha vida toda desde a base até o primeiro ano de profissional foi aqui, e agradeço a oportunidade de estar aqui participando do projeto de voltar à Série A. É sempre bom estar ao lado de pessoas sérias, que estão comprometidas. Sabemos que sempre vão pintando algumas propostas, mas graças a Deus fiquei aqui, fizemos uma boa pré-temporada e agora é começar o pé direito logo com um gol - projetou Schwenck, morador de Nova Iguaçu, que aproveitou a oportunidade para convocar a torcida:
 
- O apoio da torcida será fundamental. O Nova Iguaçu é um clube que está crescendo a cada ano, infelizmente houve um tropeço no ano passado, mas quando volta ele sempre volta com mais força. Nosso objetivo é voltar com mais força para nunca mais passar por essa situação de descer novamente. Esperamos todos aqui no sábado.
 
Os ingressos para a estreia já estão sendo vendidos desde a semana passada pelo preço promocional de R$ 10, na secretaria do clube. No dia do jogo, os ingressos custarão R$ 20 nas bilheterias, com meia-entrada para estudantes a R$ 10. Haverá preliminar de juniores, com a bola rolando às 13h para Nova Iguaçu x Goytacaz pela Série B do Carioca Sub-20.