Fernão Ketelhuth
21/10/2016
08:35
São Paulo

- Sério que você vai me marcar na bola alta?

O zagueiro Fabão se diverte com a lembrança da conversa que teve com o atacante Liedson. Foi durante um jogo entre Corinthians e Linense, no Pacaembu, pelo Campeonato Paulista de 2012. O Levezinho, como o artilheiro é mais conhecido em Portugal, estava inconformado com o tamanho do adversário.

- Na primeira bola que disputamos, eu ainda caí por cima do Liedson. Ele ficou amassado - recorda-se Fabão, aos risos - Acabamos fazendo um acordo ali mesmo, no campo: ele não vinha para cima de mim e eu não ia para cima dele. Foi melhor para todo mundo.

Fábio Santos da Silva tem 105kg e 2,04m de altura. Provavelmente, é o maior jogador de futebol do Brasil. “Provavelmente” porque seria impossível aferir a estatura dos mais de 28 mil profissionais em atividade no país.

"Nunca joguei com alguém do meu tamanho. E olha que eu rodei, hein?" (Fabão, zagueiro)

O atacante Bruno Baio, do Internacional, foi o atleta mais alto a entrar em campo pela Série A do Campeonato Brasileiro deste ano. Ele tem sete centímetros a menos do que Fabão, atualmente na Associação Desportiva Itaboraí, clube da Segunda Divisão Carioca onde iniciou a carreira, 15 anos atrás.

- Nunca joguei com alguém do meu tamanho. E olha que eu rodei, hein?

Como rodou...

Após passagens por América-RJ, Vasco, Ituano e Angra dos Reis, Fabão fez sua carreira na Ásia. Aos 23 anos, aceitou proposta para atuar pelo Al-Ansar, do Líbano. Na capital Beirute, sofreu com o idioma e as diferenças culturais. Teve dificuldade também com a estatura.

- Um colega de time me convidou para jantar na casa dele. A comida estava maravilhosa, mas eu tive de me sentar no chão, como todo mundo. Com esse tamanhão, foi dureza. Quando me levantei, doía tudo - lembra-se.

Do Líbano, seguiu para o Al-Karamah, da Síria, onde permaneceu por duas temporadas. Jogou também pelo Al-Kharaitiyat, do Catar. Ficou amigo de outros brasileiros que atuavam no país, entre eles o meia Roger, hoje comentarista do Sportv, e o atacante Fernandão, morto em junho de 2014 após um acidente de helicóptero. Foi também adversário do veterano Magno Alves, que esteve no Umm-Salal de 2008 a 2010.

Retornou ao Brasil depois de 11 anos. Além do Linense, defendeu Caxias, Brasiliense, Atlético Sorocaba e Mirassol. Em 2014, passou brevemente pelo Zacho, do Iraque. Nunca duelou com alguém tão alto quanto ele.

- O tamanho tem um lado bom e um ruim, né? O bom é que facilita o cabeceio, te dá uma vantagem nos cruzamentos. O ruim é que, se você perde uma bola no alto, já caem matando. Falam que você não serve nem para isso - brinca.

As piadas são o menor dos problemas. Fabão calça chuteiras 48. Precisa importá-las da Europa porque não encontra modelo com essa numeração no Brasil. Viajar é um martírio. Seja de avião, seja de ônibus, a poltrona é sempre desconfortável. Nos hotéis, já se acostumou a dormir com os pés fora da cama.

Aos 35 anos, ele nunca se machucou com gravidade, mas as dores na coluna vêm se agravando. Para compensar a natural falta de velocidade, o beque precisa treinar mais do que os colegas. A rotina inclui trabalhos específicos de arranque em distâncias curtas.

São obstáculos pequenos, porém, para quem tem um amor gigantesco pela profissão que escolheu. O maior jogador do Brasil promete atuar enquanto suas longas pernas permitirem. Quer parar por cima, de preferência com o Itaboraí na Primeira Divisão do Rio.

- Quando era criança, falavam que eu deveria ser jogador de basquete. Mas nunca quis saber de outro esporte. Eu gosto mesmo é de futebol.

Outros gigantes do futebol

Kristof Van Hout (2,08m)
Goleiro belga de 41 anos, defende atualmente o Westerlo (BEL)

Paul Millar (2,08m)
Atacante escocês de 28 anos, atua pelo Formatine United (ESC)

Yang Changpeng (2,05m)
Atacante chinês de 27 anos, está no Yinchuan Helanshan (CHN)

Vanja Ivesa (2,05m)
Goleiro croata de 39 anos, tem contrato com o NK Istra 1961 (CRO)

Lacina Traoré (2,03m)
Atacante marfinense de 26 anos, joga pelo Lyon (FRA)