Apresentação Londrina x Vila Nova Campeonato Brasileiro Série-C

Londrina vence a primeira partida da final e jogo pelo empate para conquistar a Terceirona do Brasileiro

Radar/LANCE!
08/11/2015
21:08
Londrina (PR)


A forte chuva e um concurso da prefeitura de Londrina afugentaram o público para a primeira partida da final da Série C do Brasileiro na noite deste domingo, no Estádio do Café. Mesmo assim, 11.201 pagantes (e pouco mais de 13 mil presentes) apoiaram muito o Londrina, que venceu o Vila Nova por 1 a 0, golaço de Zé Rafael no primeiro tempo e conseguiu vantagem para a partida de volta, que ocorrerá no próximo dia 21, no Serra Dourada. Caso vença, empate ou perca o jogo por um gol de diferença, a partir do placar de 2 a 1, o time paranaense será o campeão da Terceirona. O Vila precisa vencer por dois gols de diferença para levar o bicampeonato (já levantou o título em 1996). Triunfo do Tigre Goiano por 1 a 0 levará a decisão para os pênaltis.
O Londrina começou lançado no ataque, buscando jogadas de chuveirinho e criou duas ótimas chances nos 20 primeiros minutos. A primeira foi com Germano. O meia, livre na pequena área, recebeu um cruzamento da direita, mas isolou por cima do gol. Pouco depois, o meia Rafael Gava chutou uma falta com muito perigo. O Vila se fechou na defesa, mas não conseguiu evitar o primeiro gol. Após escanteio, a bola sobrou na entrada da área para Zé Rafael mandar uma bomba de canhota belíssima, que estourou no travessão e quicou no cantinho da trave esquerda, morrendo no gol.
Quase que na mesma hora a chuva começou a apertar muito. O Vila começou a sair um pouco mais à frente, com o Londrina fluindo o seu jogo pelos flancos, tentando buscar o atacante Bruno batata (que lesionou-se no fim do primeiro tempo e foi substituído por Patrick) e, por pouco, não ampliou aos 43 num chute de Quirino.
- Na verdade eu não pensei muito naquele lance. Sabia que tinha de chutar e peguei bem. É bem difícil de acertar e fui feliz, disse Zé Rafael na saída para o intervalo.

O segundo tempo começou com um lance curioso: Frontini, já na saída de bola, tentou fazer o gol, já que Vitor estava um pouco adiantado. A bola passou por cima. Aos dez minutos o Londrina fez um gol com Bidia que foi bem anulado por impedimento. Com a chuva dando um descanso e o Vila mais ofensivo com a mudança do esquema 5-3-2 para um 4-4-3 (entrou baiano no lugar do zagueiro Gustavo Bastos), o Londrina voltou a cadenciar as jogadas, tentando chegar á área adversária em bolas paradas, como ocorreu no primeiro tempo. Aos 30 minutos, quase chegou ao segundo gol. Um escanteio da direita acabou nos pés do zagueiro Sílvio, que ajeitou e mandou uma bomba no travessão. Aos 34, Quirino arriscou de longe e o goleiro Edson evitou o gol dos paranaenses. Nos minutos finais os times se resguardaram na defesa, não criando lances de perigo.
No fim da partida, o veterano Robston disse que embora o Tubarãao tivesse vencido, o Vila Nova mostrou qualidades e que a partida no Serra Dourada tem tudo para ter um final bem diferente.
- Eles marcaram um gol e tiveram uma bola na trave. Nós fizemos um ótimo segundo tempo e nosso erro foi não finalizarmos quando estava chovendo.  O Londrina venceu e está de parabéns. Mas jogamos bem aqui e sabemos que  a final está em aberto.  Até porque lá no Serra Dourada o torcedor nos apoiará. teremos mais do que o dobro da torcida que eles tiveram aqui.


FICHA TÉCNICA
LONDRINA 1X0 VILA NOVA-GO
SÉRIE C DO BRASILEIRO (FINAL) - Jogo de ida

Local: Estádio do Café, Londrina (PR)
Data e hora: 8/11/2015, às 19h (horário de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus (Fifa-SP)
Auxiliares: Neuza Inês Back (Fifa-SC) e Nadine Bastos (Fifa-SC)
Público e Renda: 11.201 pagantes / R$ 343.230,00 
Gol: Zé Rafael - 31'/1ºT (1-0)
Cartões amarelos: Germano e Edmar (Londrina); Igor (Vila Nova).

LONDRINA: Vitor; Rhuan, Silvio, Luizão e Paulinho; Bidía, Germano, Rafael Gava e Zé Rafael (Netinho, 26'/2ºT); Quirino  (Edmar, 37'/2ºT) e Bruno Batata (Patrick, 44'/1ºT). Técnico: Claudio Tencati.

VILA NOVA: Edson; Marcelo, Vinicius Simon, Igor, Gustavo Bastos (Baiano, 20'/2ºT)  e Marinho Donizete (Patrick, 39'/2ºT); Francesco, Robston e Ramires; Frontini (Bruno Lopes, 33'/2ºT) e Moisés.   Técnico: Márcio Fernandes.