Enderson Moreira (Foto: Divulgação/Goiás)

Enderson Moreira deu um nó no Vila e comandou o Goiás na vitória sobre o maior rival, na estreia do Goianão-2016  (Foto: Divulgação/Goiás)

RADAR/LANCE!
31/01/2016
19:47
Goiânia (GO)

Deu Goiás no superclássico goiano que abriu o Estadual. Num Serra Dourada com as medidas diminuídas para se adequar ao padrão Fifa e que só contou com a torcida do Vila Nova (o mandante) o time alviverde venceu por 2 a 0. Os gols saíram no primeiro tempo, com Patrick, aos 21 minutos e Rafhael Lucas aos 45. Este foi o clássico 256 entre os dois gigantes goianos. O Goiás chegou ao triunfo 160. O Vila venceu 61 vezes e ocorreram 65 empates.
 
O jogo que era para ser de festa para o torcedor do Colorado, que voltou à elite neste ano, acabou em tristeza. Além da derrota, a esperada estreia de Wendell Lira, autor do gol mais bonito do ano no mundo e vencedor do Prêmio Púskas, não aconteceu. O meia chegou a ser relacionado na lista dos 27 jogadores, mas, ainda fora da melhor condição física, acabou cortado e nem ficou no banco. Para piorar, mesmo sendo um jogo de torcida única (foram 8.874 pagantes) alguns vândalos do Vila Nova resolveram brigar entre si durante o intervalo.

Após o jogo, o técnico  Enderson Moreira criticou a postura do Vila Nova. Tanto da direção, que proibiu a presença da torcida do Esmeraldino, quanto da torcida.  

- O Vila preparou todo o circo para essa partida. Tanto se fala de confusão entre torcidas e vimos confusão num jogo de torcida única. Na véspera, vimos torcedores soltando rojões na porta do hotel para que o time não pudesse descansar.  Mas o que vale é que vencer o maior rival é otimo. Dá ao nosso torcedor a sensação de que este ano pode ser um ano diferente. E vencemos com um time que mudou muitas peças e ainda perdi um de meus principais jogadores, Wendell, que tive de cortar no vestiário - disse.

O zagueiro Deivid estava exultante:

- Colocamos tudo o que treinamos em prática e administramos bem as duas chances que tivemos no primeiro tempo. No intervalo, nosso treinador pediu para jogarmos com cautela e manter a pegada. Foi o que fizemos - disse o zagueiro Deivid, um dos maiores destaques do Goiás na partida.

Do lado do Vila, todos lamentaram a derrota. O lateral-esquerdo Marinho Donizete considerou que as mudanças na equipe em relação ao grupo de 2015 acabou afetando o entrosamento.

- Clássico não pode ter erro. Falhamos duas vezes no primeiro tempo e perdemos. Mas o torcedor precisa entender que são cinco jogadores diferentes no time que atuou na Série C do Brasileiro. Não era a mesma equipe. Mas estou confiante que vamos nos entrosar durante a competição.

Nos outros dois jogos deste domingo,  em Goianésia, o time local perdeu por 1 a 0 para o Itumbiara, gols de Lucas. No clássico de Anápolis, a Anapolina levou a pior contra o Anápolis, que venceu por 1 a 0, gol de Lucas Sotero.