Lisca - Joinville

                                           Lisca teve o Joinville como último clube (Foto: Divulgação/Joinville)

LANCE!
18/11/2016
04:26
Porto Alegre (RS)

Será do técnico Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi, o Lisca, de 44 anos, a missão de evitar o primeiro rebaixamento do Internacional no Campeonato Brasileiro. Menos de quatro horas após anunciar a demissão de Celso Roth, o Colorado confirmou na madrugada desta sexta-feira, através do seu site oficial, a contratação de Lisca, que iniciou a carreira de treinador nas categorias de base do próprio Colorado. O novo técnico colorado, que teve o Joinville como último trabalho, será apresentado às 10h da manhã desta sexta, no Beira-Rio, e, à tarde, comandará seu primeiro treino.

Gaúcho de Porto Alegre, Lisca começou no futebol na base do Colorado, onde atuou por mais de dez anos na condição de treinador. Ele conquistou três Gauchões juvenis (1997, 1998 e 1999), um Brasileirão juvenil (1998) e o Campeonato Gaúcho Júnior de 2002 – sua última passagem pela base colorada ocorreu em 2007. Lisca é bisneto de Carlos de Lorenzi, goleiro do Colorado na década de 10, e neto de Jorge de Lorenzi, que defendeu a equipe na década de 40.

O risco de queda do Colorado após o empate com a Ponte Preta chegou a 62%, segundo o matemático Tristão Garcia, do site Infobola e Integrante da Academia LANCE!. Lisca fará sua estreia na próxima segunda, quando o Inter enfrentará o Corinthians em São Paulo. Na rodada seguinte, o Internacional, no Beira-Rio, receberá o Cruzeiro, e, pela 38ª e última rodada da competição, o Colorado visitará o Fluminense.

Atualmente, o Inter é o 17º na tabela do Brasileirão, com 39 pontos. O Vitória tem a mesma pontuação, mas leva vantagem no número de gols marcados e, por isso, é o primeiro time fora da zona de rebaixamento. Ao contrário do Colorado, o Rubro-Negro baiano fará dois jogos diante da sua torcida (Figueirense e Palmeiras) e sairá de Salvador para encarar o Coritiba.

Lisca teve o Joinville como último clube, tendo sido demitido em 16 de setembro, após não ter êxito na missão de fazer o JEC deixar a zona de rebaixamento da Série B. Mas o técnico ganhou destaque por campanhas à frente de Juventude e Ceará, principalmente. Foi à frente do Ju, por exemplo, que ele ganhou o apelido de "Lisca Doido", por conta do perfil sanguíneo.

                                                 LISCA, O LISCA DOIDO

Lisca - Ceará
Lisca foi para a torcida após o Ceará ficar na Série B em 2015 (Foto:                                         Christian Alekson / Cearasc.com)

Após trabalhos nas bases de Inter, São Paulo, Ulbra-RS, Grêmio e Fluminense, Lisca comandou o Brasil de Pelotas, o Juventude B, Porto Alegre, Luverdense duas vezes  – time pelo qual conquistou a Copa MT em 2011 – e o Novo Hamburgo antes de assumir o time principal do Juventude em 2012. O Papo não conquistou o acesso à Série C de 2013, mas fechou o ano com o título da Copa da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), o que credenciou o time a disputar novamente a Quarta Divisão ano seguinte. Em 2013, foi à decisão da Taça Farroupilha, o segundo turno do Gauchão, após eliminar o Grêmio, nos pênaltis. Foi quando Lisca virou "Lisca Doido", após sua celebração no Alfredo Jaconi. Ele levaria o Papo ao acesso à Terceirona e, depois, à final da Série D, que foi conquistada pelo Botafogo-PB.

Lisca ainda teve duas passagens pelo Náutico, protagonizando momentos com muitas danças e comemorações, e comandou o Sampaio Corrêa antes de chegar ao Ceará no ano passado. O risco de rebaixamento do Alvinegro à Série C era de 98%. Sob o comando de Lisca, o Vozão venceu seis dos nove jogos restantes, empatou dois e perdeu apenas um, conquistando uma improvável permanência na Segundona. No derradeiro jogo, disputado no Castelão, o triunfo foi sobre o Macaé, que seria rebaixado. E ao término da partida, Lisca chegou a pegar a cabeça do mascote alvinegro, o Vozão, para comemorar com a torcida. Foi comandando o clube que ele ganhou o refrão "Saiu do hospício, tem que respeitar! Lisca doido é Ceará" do torcedor alvinegro.