Briga - CRB x CSA

Partidas terão classificação por histórico de violência (Reproducao / Esporte Interativo)

RADAR / LANCE!
10/05/2016
18:13
Rio de Janeiro (RJ)

A tentativa de coibir a violência entre organizadas nos estádios deu mais um passo. Nesta terça-feira, foi lançado o guia de segurança nos estádios, documento com cerca de 60 páginas que reúne recomendações para atuação das forças de segurança pública e privada em partidas de futebol. 

Elaborado pelos ministérios do Esporte e da Justiça, sob a supervisão da Secretaria Nacional de Segurança Pública e com a colaboração de 18 especialistas, o documento segue determinações do Estatuto do Torcedor e reforça a importância de ações conjuntas para combater a violência. Entre os pontos que mais chamam atenção está a classificação de grupos de risco de jogos, visando planejamento antecipado de medidas de segurança e prevenção. 

Partidas com histórico de violência nos últimos cinco anos serão definidos com risco "muito alto". As outras designações são alto, médio e baixo.

Ao Sportv, o secretário geral de futebol, Ricardo Gomyde aponta que é fundamental a participação de outros órgãos para solucionar o problema:  

- Precisamos ter algumas soluções para os problemas corriqueiros de violência que a gente tem. No segundo momento, vale destacar a participação plural que houve na confecção do guia. Você não tem como tratar da questão de segurança sem tratar da questão da polícia. Todas as forças de segurança participaram, opinaram, também a sociedade, através de diversas instituições, como as próprias organizadas, então, ele tem um grande mérito, que traz a discussão e aponta soluções. Na prática que vamos testá-lo e se alguma imperfeição houver, há como corrigir - considerou.

O Ministro do Esporte, Ricardo Leyser, afirmou que o guia é uma tentativa d e aprimorar o combate à violência:

- É uma questão séria, o Brasil ainda não resolveu essa questão da violência. Considero que é uma das grandes travas ao desenvolvimento do esporte brasileiro e do futebol, em especial. Ter ambientes pacíficos, que as pessoas possam andar com a camisa dos seus clubes e frequentar o espetáculo sem medo da violência, e o guia vem nesse sentido, numa articulação com os órgãos de segurança no sentido de garantir essa segurança e os direitos do torcedor.