Vitor Chicarolli *
25/05/2018
08:10
São Paulo (SP)

Fundado em Bauru, no dia 1º de maio de 1997, o Talentos 10 pertence ao goleiro Giovanni Aparecido do Santos, do Atlético-MG. Revelado pelo MAC (Marília Atlético Clube), Giovanni passou pela Ponte Preta e Grêmio Prudente até chegar no Galo, onde conquistou títulos importantes como o Campeonato Mineiro, Libertadores, Recopa e Copa do Brasil.

Atualmente, o Talentos disputa o Campeonato Paulista da Segunda Divisão e joga justamente na cidade em que o goleiro atleticano iniciou sua carreira e tem muita identificação, Marília. Em entrevista exclusiva ao LANCE!, Giorge Adriano dos Santos, vice-presidente e responsável pelo clube na ausência de Giovanni, fala sobre o projeto, desde o nome do clube, até o mascote semelhante ao da Seleção Brasileira. Confira tudo sobre o Talentos 10.

Talentos 10
Tudo começou no campo em que o Pelé surgiu para o futebol, quando jogava pelo São Paulinho de Curuçá, por conta do craque, escolhemos o 10. No mesmo campo iniciamos o nosso projeto social, que existe desde 1997, e com o objetivo de desenvolver os jovens, surgiu o nome Talentos.

Fundado em Bauru, o Talentos 10 mudou sua sede para Marília
Tentamos um contrato com o Esporte Clube Noroeste de locação do estádio, que foi revogado de última hora e tivemos que ir atrás de parceiros. Como temos um projeto social em Marília, conseguimos através da escola de futebol Passe Certo, falar com o secretário de da cidade e por conta do Estádio Bento de Abreu Sampaio Vidal pertencer a prefeitura, o acordo ficou mais fácil e se tornou possível mandar os jogos lá mesmo. Além disso, também tem o fato de que meu irmão, Giovanni Aparecido dos Santos, atual goleiro do Atlético-MG, jogou por sete anos no MAC (Marília Atlético Clube) e criamos um bom relacionamento com o pessoal da cidade. Tivemos a oportunidade de ir para outro lugar do interior paulista, como Jaú, mas optamos em ir para Marília devido a identidade criada.

Giovanni Aparecido dos Santos
Ele iniciou nesse trabalho. Em 1997, Giovanni fazia parte da escolinha que era do meu pai, Jorge Adriano dos Santos, fundador dos Talentos 10, e apenas demos sequência no projeto social dele, que era uma escolinha que buscava tirar crianças das ruas e levar para o esporte e agora progredimos esse projeto para o profissional.

A relação de Giovanni com o clube é intensiva. Ele faz parte da comissão técnica e eu sou o vice presidente e treinador da equipe profissional, além de ser também coordenador das categorias de base. Portanto trabalhamos em conjunto, com o mesmo pensamento, visando o melhor para o Talentos 10, tanto na base, quanto no profissional.

Ele está intensivamente junto com o clube, participando de todas as partes a respeito de informações e correria com patrocinadores, mas claro que sua prioridade é o Atlético-MG, nosso projeto é algo secundário.

Mascote da equipe é semelhante com o que a CBF utiliza para a Seleção Brasileira
Surgiu após um jogo que fizemos em nossa estréia na Liga Paulista, em 2016, onde nossa equipe era profissional mas a Liga não era reconhecida pela CBF. Nossos uniformes possuem as mesmas cores utilizadas pela Seleção Brasileira (camisa amarela, calção azul e meias brancas) e o Talentos 10 é uma homenagem a seleção nacional e ao Rei Pelé. Nosso objetivo é revelar jogadores para vestir a tão sonhada Amarelinha e por isso usamos cores semelhantes.

A questão do canarinho como mascote foi por conta de uma narração da rádio que estava transmitindo o primeiro gol do clube e na transmissão o narrador utilizou o seguinte bordão: ''Voa, voa meu canarinho". O nome pegou e com isso deixamos de utilizar o periquito. Já o semblante sério do nosso mascote, justifica-se pelo fato de que queremos mostrar um trabalho de muita seriedade aqui no Talentos 10 e com certeza vamos alcançar muitas coisas boas, chegando onde poucos chegaram.

Rivalidade
Procuramos mudar essa mentalidade do futebol brasileiro, onde o esporte é visto como uma guerra. Somos pentacampeões do mundo e nosso objetivo é resgatar de volta as famílias aos estádios. É muito bonito quando clubes da Europa se enfrentam e você vê as Arenas repletas de famílias e pessoas que querem curtir o espetáculo. Recentemente o Cristiano Ronaldo fez um gol de bicicleta, contra a Juventus, em Turim e foi aplaudido não só pela torcida adversária mas como também pelos próprios jogadores da outra equipe.

Temos que preservar a nossa criatividade, perdemos o gosto pelo futebol inovador. Se aqui no Brasil algum jogador faz uma jogada mais ousada, a equipe adversária entende como uma provocação e consequentemente a torcida também se sente no dever de criar um clima hostil contra esse atleta. Como o Talentos 10 é de Bauru mas joga em Marília, procuramos tirar a rivalidade dessas duas cidades e tentar resgatas as familias nos estádios, isso é o que mais nos importa.

Onde o Talentos 10 pode chegar?
Vamos jogar cada jogo em busca da vitória, independente de quem esteja do outro lado. Seja um clube de tradição ou mediano, vamos impor nosso futebol e mostrar como surgiu a raiz do futebol brasileiro, que é a infância do Rei Pelé. Pode ter certeza que colocaremos nossa força e raça dentro de campo. Acreditamos que vencendo jogos, consequentemente os títulos vão chegar, esse é o objetivo. Pode ter certeza que vamos chegar muito forte esse ano.

*Sob supervisão de Marcio Monteiro