Gabigol

Na Arena da Amazônia, Gabigol  posa com o molde de suas pisadas e que irá para a calçada da fama do estádio. Jogador foi liberado pelos santistas para ser o astro do evento  que inicia os festejos olímpicos na cidade de Manaus (Foto: Carlos Alberto Vieira)

CARLOS ALBERTO VIEIRA
19/05/2016
20:55
Manaus (AM)

Com a presença do atacante santista Gabigol, foi realizada na tarde desta quinta-feira, em Manaus, a cerimônia de lançamento dos Anéis Olímpicos da Arena da Amazônia. Esta data foi escolhida porque marca a contagem regressiva de 30 dias para a chegada da Tocha Olímpica na cidade. O atacante foi o convidado para inaugurar a instalação que está exposta numa das entradas do estádio que receberá seis partidas do futebol na Rio-2016.

Gabigol em manaus
Gabigol, logo após ajudar a tirar a lona que cobria a fachada dos anéis olímpicos e inagurar a estrutura  (Foto: Carlos Alberto Vieira)

O nome  de Gabigol não foi por acaso. O jogador é o atual artilheiro da Arena da Amazônia, com quatro gols, sendo três deles exatamente pela Seleção Olímpica ( o outro foi pelo Santos na Copa do Brasil).

Para completar, o santista também foi homenageado: deixou suas pegadas num molde para a calçada da fama do estádio, que será inaugurado em data a ser confirmada, mas ainda em 2016, segundo a assessoria de imprensa do governo do estado.

- Me sinto em casa e espero voltar aqui muitas vezes e sempre fazendo gols, disse Gabigol, que foi liberado dos treinos do Santos por dois dias, chegou nesta quinta-feira pela manhã na capital amazonense e voltará para São Paulo no início da tarde desta sexta-feira.

O santista foi recepcionado por políticos e  cerca de 500 estudantes que participavam do Projeto Transforma, ação que ocorre em Manaus, no Rio e em Belo Horizonte; É uma ação na qual os organizadores dos Jogos  levam crianças e adolescentes de escolas públicas para conhecerem e jogarem de forma lúdica os esportes olímpicos e paralímpicos.

A meninada gritou muito, e tirou fotos com o atacante, que, embora tímido,  tirou selfies com todas as autoridades, entregou camisas autografadas e deu rápida entrevista, na qual se esquivou de perguntas sobre o seu futuro no Santos antes de pegar o carro que o levou de volta ao hotel, após 1h17min de evento.

- Estou feliz com as homenagens. E participar de um evento olímpico é muito legal. Espero que a nossa Seleção vá muito bem e eu possa seguir fazendo gols - disse Gabriel, que pelo menos durante as Olimpíadas não balançará a rede da Arena da Amazônia: o  time de Dunga não jogará no estádio (apenas a Seleção feminina fará uma partida em Manaus).