Violência - Botafogo x Flamengo

Torcedores correm durante confusão no estádio Nilton Santos (Foto: Reginaldo Pimenta/Raw Image/Lancepress!)

Felippe Rocha e Igor Siqueira
12/02/2017
23:05
Rio de Janeiro (RJ)

O sentimento de luto invadiu o futebol carioca. Botafogo e Flamengo lamentaram a morte do torcedor, que foi baleado em um incidente antes de a bola rolar no clássico deste domingo, no Nilton Santos.

Diego Silva dos Santos, de 28 anos, levou um tiro no rosto quando passava pela região do setor Norte do estádio,

- Ficamos entristecidos com a notícia da morte do torcedor. Tudo o que temos de alegria muda completamente. Não consigo ver esporte dessa forma. Futebol é entretenimento. Quando temos um caso como esse, ficamos entristecidos, principalmente por saber que não foi o primeiro e nem será o último - disse o técnico do Flamengo, Zé Ricardo.

- Os anos vão passando e a violência não acaba. A gente preza pela paz, por um mundo melhor. O estádio podia estar lotado. Acredito que quem viu o jogo, gostou. Acaba se apagando isso tudo pelo episodio lamentável - comentou Jair Ventura, técnico do Botafogo.


O clube alvinegro também divulgou uma nota oficial no site. Já o presidente do Fla, Eduardo Bandeira de Mello, comentou o episódio ainda no Engenhão.

- Quem define se uma partida deve ser realizada ou não é o policiamento. O comandante disse que havia condições para acontecer. Esse tipo de confusão antes dos jogos de vez em quando acontece, às vezes não envolve nem torcedores. É lamentável que esse tipo de coisa continue acontecendo. Mas não me parece ter havido problema de a partida ser realizada. Esse tipo de coisa acontece até longe dos estádios às vezes, com torcedores marcando pra brigar em lugares remotos. Temos que lamentar e pedir que as punições sejam aplicadas às pessoas físicas. O crime tem que ser investigado, descobrir quem fez e botar na cadeia - disse Bandeira.