Vasco x Botafogo - 22/01/20096

Romário em ação no clássico. Baixinho deu show, mas não evitou derrota do Vasco (Foto: Divulgação)

RADAR/LANCE!
29/04/2016
16:10
Rio de Janeiro (RJ)

Vasco e Botafogo começam a decidir neste domingo mais uma edição de Campeonato Carioca. Além de ser uma reedição da final do ano passado, o encontro entre alvinegros também marca a reabertura do Maracanã, que não recebe jogos oficiais desde o fim do ano passado. Coincidência ou não o clássico já foi também a partida de "reestreia" do estádio.

O Maracanã ficou fechado em boa parte de 2005 para o início das reformas do local para os Jogos Pan-Americanos de 2007. No dia 22 de janeiro de 2006, Botafogo e Vasco se enfrentavam pela terceira rodada da Taça Guanabara. Era o jogo que marcava a reabertura do estádio ao público após nove meses. No reencontro do torcedor com o local uma novidade: a antiga geral não existia mais. Além disso, o gramado do Maraca foi rebaixado. As obras, no entanto, ainda estavam em andamento e por conta disso apenas as arquibancadas e cadeiras especiais estavam liberados.

As duas equipes tinham destaques. O Botafogo, que era dirigido pelo ex-jogador do clube Carlos Roberto, tinham em seu elenco jogadores como Zé Roberto, Lucio Flavio, Scheidt, Ruy Cabeção, Diguinho e Reinaldo. O Vasco, comandado por Renato Gaúcho, as esperanças estavam nos pés de Morais, Wagner Diniz e, principalmente, Alex Dias, que tinha entrado na justiça contra o clube por conta de atraso de salário, e Romário, então com quase 40 anos na época.


O clássico foi digno da altura do Maracanã. Logo aos quatro minutos o Botafogo saiu na frente com Zé Roberto. No primeiro tempo as duas equipes tiveram grandes chances de gols em um jogo franco. O melhor, contudo, estava por vir. Veio o segundo tempo e com ele o show particular de Romário. O Baixinho fez três gols e ainda teve um corretamente anulado. Durante 12 minutos, as duas equipes fizeram cinco gols com direito a virada e empate. No fim, Felipe Adão, filho de Cláudio Adão, fechou a vitória do Botafogo por 5 a 3.

Neste domingo os torcedores esperam que o primeiro ato da final seja tão emocionante quanto esta lembrança. Para os botafoguenses que o enredo seja igual. Para os vascaínos um cenário diferente de 10 anos atrás, mas com o final igual ao de 2015.