Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo (Foto: Igor Siqueira)

Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo (Foto: Igor Siqueira)

Igor Siqueira
01/03/2016
18:23
Rio de Janeiro (RJ)

Flamengo e Fluminense estão dispostos a não recuarem em mais um embate com a Federação de Futebol do Rio de Janeiro. Os clubes tiveram negadas por parte da Ferj o pedido autorizações para enfrentar, respectivamente, Figueirense e Criciúma, pela Copa da Primeira Liga, nos dias 9 e 10 de março, mas asseguram que os jogos vão acontecer.

A Ferj rejeitou as solicitações na sexta-feira, através de um documento enviado à CBF com cópia para os clubes, sob o argumento de que haverá conflito com o Carioca, já que os jogos da primeira rodada da segunda fase (Taça Guanabara) vão ocorrer na quarta-feira, no sábado e no domingo.

No entanto, o argumento do Flamengo é que, inclusive, há garantias por parte da Globo de que, independentemente da classificação final na primeira fase do Estadual, o jogo do Rubro-Negro será domingo, abrindo espaço para a disputa de uma partida na quarta-feira.

- A Ferj mandou uma carta para a CBF dizendo que não pode autorizar porque existe conflito de datas. Mas como não existe, o jogo Flamengo x Figueirense é dia 9. O da Taça Guanabara vai ser dia 12 ou 13. Não vai ser marcado para o dia 9. A TV tem o direito das duas competições. Vai ter jogo - assegurou o presidente Eduardo Bandeira de Mello, ressaltando que a venda de ingressos começou.

O vice-presidente da Liga e presidente do Avaí, Nilton Machado, saiu em solidariedade ao Flamengo.

- Causa espanto e perplexidade a proibição de Flamengo e Fluminense jogadores. É uma pretensão de interferência na liga e não vamos permitir que isso aconteça. Vai sair o jogo, pronto - afirmou.