Espresso

Acompanhe uma análise crítica do futebol no LANCE! Espresso

LANCE!
04/10/2017
09:35

Uma pesquisa encomendada pelo Corinthians para traçar o perfil dos frequentadores da Arena de Itaquera traz números surpreendentes. A começar pela renda: 35,8% dos 12 mil torcedores entrevistados ganham mais de R$ 8.800 por mês. Apenas 6,3% recebem menos do que R$ 1.760. E mais: 69,3% dos corintianos têm nível superior ou são pós-graduados. Embora 40,6% afirmem que vão ao estádio com a família, só 3,9% do público tem menos de 20 anos – o que mostra a ausência de crianças e adolescentes nas arquibancadas, Este cenário, na essência, certamente não será muito diferente do que acontece na maior parte das novas arenas do país. E revela, claramente, como os clubes brasileiros desperdiçam o potencial do chamado dia do jogo.

Poder aquisitivo não falta ao torcedor, Faltam atrativos para que ele gaste mais e aumente as receitas do clube. Falta criar experiências que façam a ida ao estádio ir além dos 90 minutos de bola rolando. Há muito mais o que faturar além do preço do ingresso e do estacionamento. É uma questão de querer – e saber – fazer.

O que tem de menos

Outro ponto da pesquisa corintiana avaliou os serviços e a operação da Arena. A limpeza levou nota 8,5, numa escala de 0 a 10. Conforto veio logo em seguida com 8,2. Já na outra ponta, apareceram com as menores notas o atendimento no estádio (7,5), as formas de acesso (7,8) e a segurança (7,9). São indicadores valiosos.

O que o torcedor quer é ter motivos para comparecer ao estádio. E isso passa diretamente pelas condições do transporte público, por bolsões de estacionamento eficientes mas, principalmente, por ações efetivas que levem à percepção de que o futebol é um programa seguro. Infelizmente, ainda estamos longe disso. Veja aqui, todos os resultados da pesquisa.