Tecnico - Cuca - Shandong Lunen (foto:AFP)

Cuca diz que é muito difícil deixar o Shandong Lunen neste momento, em caso de convite do Tricolor (Foto:AFP)

RADAR/LANCE!
10/11/2015
09:16
São Paulo (SP)

Um dos nomes cotados pelo São Paulo para substituir o técnico Doriva - demitido nesta segunda-feira -, Cuca diz, ao menos publicamente, que quer permanecer no Shandong Luneng, da China, com quem tem contrato até o fim do ano que vem.  O LANCE! apurou que ele tem como planos voltar a trabalhar no Brasil em 2016.

- Tenho contato por mais um ano na China. Não tenho como vir - disse Cuca, em entrevista ao site da "ESPN Brasil".

Também nesta terça-feira, o empresário do técnico, Eduardo Uram, divulgou uma nota oficial em que também ressalta a prioridade de cumprir o contrato com os chineses.


"Cuca já cumpriu dois dos três anos do contrato que foi assinado, e pretende cumprir o seu último ano normalmente. A única chance disso não acontecer é por uma excepcionalidade do futebol. O desejo dele é continuar no Shandong Luneng", afirma Uram, na nota.

Internamente, porém, a situação não é simples assim. Cuca já praticamente definiu como prioridade retornar ao Brasil em 2016 e pode fazer isso em comum acordo com o Shandong, que passa por um momento de indefinições. Existe a possibilidade de uma troca de presidente nos próximos dias. Um acordo poderia sair uma saída boa para os dois lados e é estudado. 

A reportagem da ESPN lembra também que Cuca não tem vivido bom momento na China, onde tem enfrentado problemas com jogadores, dentre eles Diego Tardelli, e a volta ao Brasil do seu irmão e auxiliar, Cuquinha, que estava com problemas de saúde.

Cuca está no Shandong desde o início do ano passado, após deixar o Atlético-MG, onde conquistou a Copa Libertadores no ano de 2013. Na China, conquistou dois títulos nacionais e dois acessos à Liga dos Campeões da Ásia. O treinador está suspenso depois de uma confusão com um bandeirinha e não tem podido comandar o time no banco de reservas.

Cuca tem 52 anos e foi jogador de grandes clubes do futebol brasileiro como Grêmio, Palmeiras e Santos, antes de se tornar treinador em 1998. No São Paulo, trabalhou em 2004 e é considerado um dos responsáveis por iniciar a montagem do elenco campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes no ano seguinte. Chegou à semifinal da Libertadores em 2004.