João Paulo Medina em evento de abertura do curso Gestão Técnica no Futebol (Foto: Melissa Gargalis)

João Paulo Medina em evento de abertura do curso Gestão Técnica no Futebol (Foto: Melissa Gargalis)

Melissa Gargalis
24/08/2016
14:48
São Paulo (SP)

Gestão e futebol devem andar de mãos dadas. Esta foi a mensagem passada a quem estava presente no auditório do Museu do Futebol, em São Paulo, durante o evento de abertura do curso Gestão Técnica no Futebol, nesta última terça-feira.

Com o intuito de trocar conhecimentos e ajudar no desenvolvimento do esporte mais praticado pelos brasileiros, especialistas discutiram sobre temas relevantes como a formação de jogadores e a transição base-profissional, assim como os principais desafios da gestão esportiva no Brasil. Para eles, a profissionalização de todos os setores em um clube é essencial para desenvolver uma conduta diferenciada no futebol brasileiro:

- A mudança tem que vir de dentro dos próprios clubes, quando um presidente assumir que não tem capacidade técnica para administrar um clube. Não adianta contratar um CEO, porque isso é uma certa doença do Brasil. Enquanto um presidente não admitir que ele não entende de tudo, de marketing, de jurídico, de RH, de gestão, nada vai mudar - afirmou Amir Somoggi, especialista em marketing e gestão esportiva, complementando:

- O Barcelona, por exemplo, gasta 27 milhões de euros com gestão e tem uma estrutura profissional em todas as áreas. Está certo que o Barcelona é uma referência, mas por que nós não podemos fazer o mesmo? A Espanha é um país latino e tem os mesmos defeitos que a gente. O poder que o executivo e o legislativo têm para fazer leis e criar uma mudança estrutural pode acontecer. Precisamos de mudanças - finalizou.

O professor João Paulo Medida, fundador da Universidade do Futebol, que ministra o curso, foi o responsável por conduzir a reunião. O encontro ainda contou com outros grandes profissionais como Augustín Peraita Serra, coordenador da Escola Barcelona em São Paulo, Rodrigo Leitão, coordenador das categorias de base da Ponte Preta e Marcelo Lima, gerente do Ituano.

André Mazzuco, diretor de futebol do Red Bull Brasil, José Francisco Manssur, vice-presidente de comunicação e marketing do São Paulo, e Cícero Souza, gente de futebol do Palmeiras, também estiveram presentes e deram suas visões sobre o cenário do futebol no Brasil e no mundo.

O curso terá duração de quatro meses e será conduzido através de uma plataforma online. O volante Elias, do Corinthians, e o goleiro Fernando Prass, do Palmeiras, estão entre os alunos matriculados.