Goías permanece a um ponto de zair da zona de rebaixamento (Foto: Divulgação/Site Estádio Serra Dourada)

Goías permanece a um ponto de sair da zona de rebaixamento (Foto: Divulgação/Site Estádio Serra Dourada)

RADAR/LANCE!
09/11/2015
19:16
São Paulo (SP)

O Goiás, 17º colocado na tabela de classificação do Brasileiro, iniciou a 34ª rodada precisando de apenas um ponto para sair da zona de rebaixamento. No entanto, o time esmeraldino acabou goleado por 4 a 1, pelo Flamengo, neste domingo, no Maracanã (RJ).

Para o lateral Diogo Barbosa, a vitória contra o internacional, na rodada passada e, a combinação de resultado dos concorrentes na luta contra o rebaixamento, não foram motivos para deixar o time acomodado.

- Acomodados jamais, sabíamos que seria um jogo difícil, como foi, a gente entrou com o pensamento de tirar o Goiás dessa situação, nessa rodada, e nos jogos seguintes que tem enfrentamento direto contra o Coritiba. Tá tudo embolado, todo mundo perdeu, então no próximo jogo temos que entrar bem melhor do que entramos hoje e fazer o mais importante que é o resultado - disse Diogo, ao Portal 730, de Goiânia.

Na partida contra o Flamengo, o nervosismo tomou conta dos jogadores esmeraldinos, que discutiram e trocaram xingamentos dentro de campo. Para Diogo isso faz parte do futebol, ainda mais quando o time está em desvantagem no placar.


- Isso acontece com frequência, pode ter sido uma reclamação mais acintosa que o Zé Love não gostou. Mas isso são coisas pequenas, o Goiás é maior que isso e temos que tirá-lo dessa situação, porque isso manchará a instituição e os jogadores que estão aqui - afirmou o jogador.
O Goiás ainda tem mais quatro partidas pela frente. Uma delas acontece contra o São Paulo, na última rodada do campeonato. Sobre a possibilidade de ter o local do jogo alterado, devido à aposentadoria de Rogério Seni, o lateral diz que não sabia e que, independente da ocasião, o Serra Dourada é o melhor lugar para encerrar o Brasileirão.

- Eu não estava sabendo disso, fiquei sabendo agora. Acho que devia deixar o jogo no Serra, com a nossa torcida tudo facilita. No jogo contra o Inter, no segundo tempo, com o apoio da torcida eles nos embalaram e viramos o jogo. No Serra é onde temos força, os adversários têm dificuldade, e nós já estamos acostumados. Mas vamos ver o que a diretoria vai decidir, cabe a nós acatar, quem manda são eles - concluiu o lateral.