LANCE!
19/05/2016
12:50
Rio de Janeiro (RJ)

A eliminação diante do Fortaleza na Copa do Brasil, na noite de quarta-feira, com uma derrota por 2 a 1, entra para a lista de vexames do Flamengo. Com uma história recheada de ídolos, conquistas e títulos, o Rubro-Negro também escreveu alguns capítulos que seus torcedores gostariam muito de esquecer. Esse ano mesmo, no próprio torneio mata-mata, o time da Gávea estreou sendo derrotado pelo Confiança por 1 a 0, em Sergipe. Porém, na partida de volta, uma imponente vitória por 3 a 0 minimizou o fiasco.


Um dos vexames mais conhecidos da história do Flamengo aconteceu no dia 15 de novembro de 1972. No dia do aniversário do clube o Rubro-Negro foi goleado pelo Botafogo por 6 a 0. O resultado passou a perseguir os flamenguistas, conforme o próprio Zico chegou a revelar em algumas entrevistas. Depois o Flamengo conseguiu devolver o placar histórico em 1981, levando sua torcida à loucura.
Mas 1981, ano também da conquista do Mundial de Clubes, não foi só de glórias. No Campeonato Carioca daquele ano aconteceu um jogo que também entraria para a história negativa do Flamengo: a derrota de 1 a 0 para o Serrano, modesto clube de Petrópolis, gol marcado por Anapolina.


O Botafogo voltaria a impor um vexame ao Flamengo em 1997, quando escalou os reservas na última rodada da Taça Guanabara e mesmo assim superou Sávio, Romário e um time de estrelas do rival. O 1 a 0, com gol de Renato Carioca, custou a eliminação aos flamenguistas. Naquele mesmo ano o time sairia do Brasileirão graças a uma goleada de 4 a 1 sofrida para o Vasco, em noite inspirada de Edmundo.

Em 1998, sob a gestão de Kleber Leite, a diretoria decidiu motivar o grupo prometendo devolver o dinheiro do ingresso aos torcedores se o Flamengo perdesse para a Portuguesa no Campeonato Brasileiro, no Maracanã. O jogo terminou 3 a 2 para a Lusa e os dirigentes tiveram que montar um esquema de devolução de dinheiro.

Mas o jogo contra a Lusa não machucou tanto os torcedores quanto um outro duelo contra paulistas. Na final da Copa do Brasil de 2004 o Flamengo havia arrancado empate por 2 a 2 com o Santo André, fora de casa, e chegou ao Maracanã para decidir o título como grande favorito. Perdeu de 2 a 0 em um dos maiores vexames da historia. O técnico Abel Braga, na época no comando do time, admitiu que os dias anteriores ao duelo, marcado por visitas de personalidades à Gávea, tirou a concentração do grupo.


Tentando reencontrar o título da Libertadores, o Flamengo viveu outro vexame em 2008, quando recebeu o América do México pelas oitavas de final depois de ter vencido por 4 a 2 fora de casa. Uma grande festa tinha sido montada para a despedida do técnico Joel Santana, que havia conquistado o Campeonato Carioca três dias antes e que estava indo para a seleção da África do Sul. Quem roubou a cena foi o gordinho Cabañas, que brilhou no triunfo por 3 a 0. Alguns atletas flamenguistas deixaram o gramado aos prantos.


Outra eliminação marcante na Libertadores aconteceu na primeira fase de 2012. Na última rodada o time venceu o Lanús por 3 a 0 e ficou no gramado esperando o desfecho do duelo entre Olimpia do Paraguai e Emelec do Equador. Os flamenguistas torciam por um tropeço dos equatorianos e uma rede de televisão colocou o fone de ouvido em Leonardo Moura para o jogador acompanhar os minutos finais do jogo que estava 2 a 2. Um gol do Emelec, aos 47 minutos do segundo tempo, tirou o Rubro-Negro do torneio e o lateral sofreu como alvo de memes na internet.

Dois anos depois, em 2014, o Flamengo também foi eliminado em casa com uma derrota de 3 a 2 para o Leon, do México. O time caiu na primeira fase.