icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
25/08/2015
19:25

Após uma tentativa de homicídio a dois jogadores do Juventude, que disputa da Série C do Brasileirão, chocar o futebol brasileiro, na última quinta-feira, atos de violência marcaram a rodada de fim de semana da quarta divisão do Campeonato Brasileiro.

O pior incidente aconteceu no domingo, dia 23, na Arena Alviazul, em Lajeado (RS). O Lajeadense venceu o Volta Redonda por 2 a 1, pela sétima rodada da Série D do Brasileirão. Porém, após o apito final. um dirigente do Lajeadense, identificado como Jorge Baldo pelo árbitro Wanderson Alves de Sousa, ameaçou a equipe de arbitragem.

Abaixo, seguem as ameaças relatadas pelo árbitro em súmula.

- Vocês são uns filhos da puta, corruptos e desgraçados.

- Eu vou mandar matar vocês na estrada essa noite.

- Quero ver vocês saírem daqui.

Felizmente, as ameaças e promessas do diretor do Lajeadense não foram cumpridas. Durante a partida, o árbitro expulsou dois atletas do Laejeadense, Fábio Rosa e Igor Dias, e o treinador Luiz Carlos Winck.

Árbitro relatou em súmulas as ameaças de um diretor do Lajeadense (Foto: Reprodução)


No sábado, dia 22, também pela sétima rodada da Série D, o empate em 1 a 1 entre Rio Branco (ES) e Aparecidense só acabou horas depois do apito final, na delegacia. Após o fim do jogo, também pela sétima rodada da Série D e disputado no Estádio Engenheiro Araripe, no Espírito Santo, uma confusão generalizada tomou conta do gramado.

Por acertar uma soco nas costas de uma adversário, Robson, do Aparecidense, foi expulso. Já Paulo Vitor, do Rio Branco, por ter corrido "em direção ao túnel da equipe adversária para agredir com socos e pontapés", segundo a súmula do jogo, assinada pelo árbitro André Rodrigo da Rocha. Horas depois, Robson e o técnico Duílio Dias, do Aparecidense, tiveram que prestar depoimento na delegacia.

 


 

 

Após uma tentativa de homicídio a dois jogadores do Juventude, que disputa da Série C do Brasileirão, chocar o futebol brasileiro, na última quinta-feira, atos de violência marcaram a rodada de fim de semana da quarta divisão do Campeonato Brasileiro.

O pior incidente aconteceu no domingo, dia 23, na Arena Alviazul, em Lajeado (RS). O Lajeadense venceu o Volta Redonda por 2 a 1, pela sétima rodada da Série D do Brasileirão. Porém, após o apito final. um dirigente do Lajeadense, identificado como Jorge Baldo pelo árbitro Wanderson Alves de Sousa, ameaçou a equipe de arbitragem.

Abaixo, seguem as ameaças relatadas pelo árbitro em súmula.

- Vocês são uns filhos da puta, corruptos e desgraçados.

- Eu vou mandar matar vocês na estrada essa noite.

- Quero ver vocês saírem daqui.

Felizmente, as ameaças e promessas do diretor do Lajeadense não foram cumpridas. Durante a partida, o árbitro expulsou dois atletas do Laejeadense, Fábio Rosa e Igor Dias, e o treinador Luiz Carlos Winck.

Árbitro relatou em súmulas as ameaças de um diretor do Lajeadense (Foto: Reprodução)


No sábado, dia 22, também pela sétima rodada da Série D, o empate em 1 a 1 entre Rio Branco (ES) e Aparecidense só acabou horas depois do apito final, na delegacia. Após o fim do jogo, também pela sétima rodada da Série D e disputado no Estádio Engenheiro Araripe, no Espírito Santo, uma confusão generalizada tomou conta do gramado.

Por acertar uma soco nas costas de uma adversário, Robson, do Aparecidense, foi expulso. Já Paulo Vitor, do Rio Branco, por ter corrido "em direção ao túnel da equipe adversária para agredir com socos e pontapés", segundo a súmula do jogo, assinada pelo árbitro André Rodrigo da Rocha. Horas depois, Robson e o técnico Duílio Dias, do Aparecidense, tiveram que prestar depoimento na delegacia.