Jorge Henrique e Jean - clássico Vasco x Fluminense (Foto: Cléber Mendes/LANCE!press)

Jorge Henrique e Jean disputam bola no último Vasco x Fluminense (Foto: Cléber Mendes/LANCE!press)

João Matheus Ferreira e Matheus Babo
01/12/2015
09:25
Rio de Janeiro (RJ)

Após a rodada de número 37 do Campeonato Brasileiro, os torcedores do Vasco começaram a esquecer a inimizade com o Fluminense, já que o clube vai depender de um empate ou vitória do rival diante do Figueirense para seguir na Série A. E o ano não foi bom para um precisar do outro no momento mais importante da temporada. O racha entre as diretorias, polêmica entre os capitães Fred e Rodrigo, briga pelo lado direito da arquibancada no Maracanã. Tudo contribui para que as suposições de mesa de bar entrem em ação.

Desesperado, o torcedor vascaíno tenta se apegar em outras ocasiões, quando o Tricolor precisou do Vasco. E o Cruz-Maltino ajudou. Alguns estão usando até a letra de uma música banda O Rappa, que diz: "Aquela dívida de uns anos atrás está bem viva, você não lembra mais".

No primeiro rebaixamento do Fluminense, em 1996, a equipe das Laranjeiras brigava contra a degola e o rival de São Januário enfrentaria na reta final dois concorrentes diretos nesta luta: Criciúma e Bahia. Diante dos catarinenses, em Juiz de Fora, o Vasco fez sua parte e venceu o jogo por 4 a 2. Contra os baianos, fora de casa, derrota por 3 a 2, mas os cariocas foram prejudicado pelo arbitragem.

O caso mais recente de ajuda dentro de campo envolvendo os dois clubes aconteceu em 2012. Em duas oportunidades. Na última rodada da fase classificatória da Taça Guanabara daquele ano, o Tricolor precisava vencer o Bangu, além de torcer para um triunfo do Cruz-Maltino sobre o Boavista, o que acabou acontecendo. Nas finais daquele turno, os rivais se encontraram e o Fluminense levou a taça após vitória por 3 a 1. No Brasileirão da mesma temporada, o líder Flu precisava bater o Palmeiras e torcia por tropeço do Atlético-MG, que enfrentava o Vasco. O Tricolor venceu e o Gigante da Colina arrancou o empate.

'Querendo ou não, às vezes no subconsciente você pensa: "Vou correr para ajudar um rival?". Infelizmente isso prejudica o rendimento em campo, não jogamos da mesma maneira. Claro que não vamos entregar, mas a motivação é diferente. É complicado ficar motivado sem brigar por nada', Felipe, à época no Vasco, em 2010.

Agora, os vascaínos devem estar cantando outro trecho da música "A taxa é zero o juro é alto vamos conversar. Ressarcimento pagamento vamos negociar".
Declaração de ex-meia Felipe é relembrada

Se o Vasco já ajudou o Fluminense em algumas oportunidades, em outras o final não foi o mesmo. O ano era 2010 e o Tricolor lutava pela conquista do título brasileiro. Sem chances de Libertadores ou de rebaixamento, o Cruz-Maltino encarou na reta final os três postulantes ao caneco: Fluminense, Cruzeiro e Corinthians. E não venceu nenhuma.
Os tricolores compartilharam muito na internet após o fim da última rodado Brasileirão uma declaração do ex-meia Felipe, que defendia o Vasco, e afirmou na ocasião que era difícil entrar motivado.

– Querendo ou não, às vezes no subconsciente você pensa: "Vou correr para ajudar um rival?". Infelizmente isso prejudica o rendimento em campo, não jogamos da mesma maneira. Claro que não vamos entregar, mas a motivação é diferente. É complicado ficar motivado sem brigar por nada - disse o ex-jogador, em uma entrevista coletiva na Colina.

O Vasco visitou o Corinthians no Pacaembu e acabou derrotado por 2 a 0. Mesmo assim, o Fluminense acabou campeão. Curiosamente, Felipe acabou encerrando a carreira no Tricolor, no final de 2013.