Sede da CBF (Foto: arquivo LANCE!)

CBF tem contrato com a Nike desde 1996 (Foto: arquivo LANCE!)

LANCE!
19/07/2016
17:31
Rio de Janeiro (RJ) 

A parceria da CBF com a fabricante de material esportivo Nike é um dos focos de investigação da CPI da Máfia do Futebl, que foi instalada na Câmara dos Deputados para apurar crimes cometidos no futebol brasileiro. Segundo o relator da Comissão, o deputado Fernando Monteiro (PP-PE), o relatório final dos trabalhos irá sugerir o rompimento do acordo entre a entidade e a empresa americana, que vigora desde o final da década de 90.

A intenção do parlamentar em incluir a sugestão no documento sobre as investigações da CPI foi divulgada pelo blog Panorama Esportivo, do jornal O Globo. A iniciativa de Monteiro tem como base o material obtido pelo Departamento de Justiça dos EUA onde a Nike é investigada por suspeita de pagamento de propina à CBF pelo patrocínio de US$ 160 milhões assinado em 1996.

- Vou sugerir no relatório o rompimento da Nike com a Seleção Brasileira para começar como um marco anticorrupção – afirmou ao jornal O Globo o deputado, que ainda aguarda o recebimento de documentos da Justiça dos EUA para propor a ruptura.

Segundo Monteiro, do total do contrato de US$ 160 milhões, apenas US$ 120 milhões entraram nas contas da entidade.

- Onde foi parar o restante? De todo o problema de corrupção verificado na CPI, a maior ocorrência é na entrada do dinheiro, e não na saída – afirmou o parlamentar.

Além de sugerir o rompimento do contrato entre CBF e Nike, Monteiro aponta ainda que incluirá no relatório a tipificação do crime de corrupção privada (no país o crime é apenas voltado a recursos públicos) e o fim das agências de marketing como intermediário de patrocínios no futebol.