Coronel Nunes, presidente da CBF, na Conmebol (Foto: Igor Siqueira)

Coronel Nunes, presidente da CBF, na Conmebol (Foto: Igor Siqueira)

Igor Siqueira
26/01/2016
11:43
Enviado especial a Assunção (PAR)

O presidente da CBF, Coronel Nunes, comentou em Assunção mais uma vez a briga política que tem como centro da questão a realização ou não da Primeira Liga em 2016. Indagado sobre o comportamento do presidente da Ferj, Rubens Lopes, que tem sido o dirigente mais incisivo contra a Liga, o Coronel citou a forma incisiva com a qual Rubinho negocia.

- Rubinho é companheiro de todos, está sempre pronto a dialogar. Ele defende os interesses da Ferj. Ninguém vai ser contrário a qualquer presidente de Federação. Rubinho quando negocia, o cidadão pede quatro datas, ele só dá duas. Mas ele parte para o diálogo - afirmou o presidente da CBF.

Ao contrato da declaração de segunda-feira, na chegada à Conmebol, quando disse que iria se inteirar do veto dado pela própria CBF à Liga como competição oficial em 2016, Coronel Nunes explicou melhor o ponto de vista da entidade.

- Estamos acompanhando isso aí. Já fizemos várias reuniões. Ela não está no calendário. O aceno da CBF é colocar no calendário de 2017, a CBF dá essa garantia. Se quiserem fazer jogos amistosos, não estamos interferindo... Mas se tiver ato infracional, tem o STJD. Tem que se colocar no calendário - completou, alegando que faltou diálogo por parte dos membros da Liga:

- Temos uma decisão de outubro da assembleia geral. Tem que cumprir algumas formalidades, sim. Ninguém fez isso. Passaram..."Vamos realizar de qualquer maneira". Não houve o diálogo. Tomamos a deliberação de não se opor se cumprisse as exigências legais.