Estádio do Morumbi - São Paulo x Ponte Preta

Clássicos têm sido disputados com torcida única desde o ano passado (Luis Moura / WPP)

Fábio Suzuki
11/04/2017
13:16
São Paulo (SP) 

Os presidentes de São Paulo e Corinthians vão solicitar às autoridades e órgãos de segurança para que os jogos das semifinais do Campeonato Paulista voltem a ter duas torcidas. A iniciativa foi discutida durante o Conselho Técnico na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF) que definiu as datas das partidas decisivas da competição. O jogo de ida do Majestoso será no próximo domingo, às 19h, no Morumbi, e o de volta no dia 23, na Arena Corinthians, às 16h. 

- Vamos sair daqui e falar com as pessoas responsáveis por isso, o secretário ou o promotor. Vamos fazer uma solicitação, não se trata de um ofício mas será uma conversa. Se eles tiverem um pouco de bom senso e acharem que está na hora de fazer isso, vamos fazer - afirmou o presidente do Corinthians, Roberto de Andrade. 

- Temos que reconhecer que as torcidas estão contribuindo. Nós percebemos isso e digo pelo São Paulo que em nossas torcidas há um processo de conscientização e de contribuição para que possamos reivindicar e obter essa melhor solução que seria a participação da torcida adversária - comentou o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. 

A torcida única nos clássicos paulistas foi imposto há cerca de um ano após a morte de um torcedor no clássico entre Palmeiras e Corinthians, pelo Paulistão do ano passado. Apesar do esforço para tentar reverter a decisão, o próprio dirigente são-paulino afirmou que será difícil ter as duas torcidas no clássico. 

- É uma tarefa inglória a nossa de pretender que isso mude. Mas seria bom que isso acontecesse, no mínimo com os 10% mas é difícil - completou Leco.

Presente no Conselho Técnico, o presidente do Palmeiras também defendeu a posição dos dirigentes dos clubes rivais. 

- Com torcida única, o espetáculo perde. A emoção do futebol também passa pelo torcedor no estádio e a torcida única afasta o consumidor do seu produto - comentou Maurício Galiotte. 

Especialista em direito esportivo, o advogado Carlos Eduardo Ambiel, que foi um dos autores do Estatuto do Torcedor, deu a sua opinião sobre os jogos disputados com uma única torcida. 

- A gente espera que sejam encontrados meios, a partir do que a legislação prevê, de punir os indivíduos que praticam violência, e, assim, permitir que o cidadão comum, que vai ao estádio apreciar o espetáculo, possa acompanhar os jogos - afirmou Ambiel.