Bahia x Fortaleza

Fortaleza é valente e domina o Bahia em plena Fonte Nova. Mas, no fim, Tricolor baiano arranca o 1 a 1  e está na semifinal da Copa do Brasil   (Foto: LC Moreira/Lancepress!)

RADAR/LANCE!
03/04/2016
18:40
Salvador (BA)

Neste domingo, Bahia, Santa Cruz e Campinense  conseguiram suas classificações para as semifinais da Copa do Nordeste. O Bahia empatou em 1 a 1 com o Fortaleza, na Fonte Nova, em jogo dramático. E embora o Bahia tivesse perdido um pênalti no início do jogo, o time cearense (que perdera em casa por 2 a 1 e precisava vencer)  saiu na frente, desde os 26 minutos do primeiro tempo contou com um jogador a mais e ainda acertou três bolas na trave.

O Santa Cruz, jogando cautelosamente - pois vencera em casa o Ceará por 2 a 1 no jogo de ida - soube segurar o ímpeto cearense no Castelão e conseguiu vencer por 1 a 0.

Já o Campinense, atuando em Campina Grande, levou um susto. Entrou em campo com boa vantagem, construída com a vitória sobre o Salgueiro em Pernambuco por 2 a 0.  Só que o aguerrido rival chegou a fazer 2 a 0  e se não fosse um gol na marra de Pitbull aos 37 minutos do segundo tempo, o time paraibano, dono da melhor campanha da fase de grupos, estaria eliminado. 


Bahia e Santa Cruz farão uma das semifinais. A outra será entre o Campinense e o Sport, que abriu as semifinais no sábado derrotando o CRB por 1 a 0 e avançou no gol fora de casa (na ida, em Maceió, deu CRB 2 a 1).  

Bahia empata no sufoco


O Bahia teve tudo para abrir o placar. Aos cinco minutos, Thiago Ribeiro, após uma agarrada do zagueiro Juliano, caiu na área e o juiz marcou pênalti, que o mesmo TR9 bateu para defesa do goleiro Ricardo Berna.

Animado o Fortaleza foi para cima e dois minutos depois Anselmo chutou, meio se jeito, e a bola foi na trave direita do goleiro Marcelo Lomba. Precisando vencer, o Fortaleza começou a dominar e o Bahia foi se fechando. E se complicou aos 26 minutos. O volante Paulo Roberto, que já tinha amarelo, deu uma entrada feia e levou o vermelho. Com um a mais, o Fortaleza passou a criar várias chances, viu o Bahia perder oportunidades no contra-ataque, mas o placar ficou em branco no primeiro tempo. Decepcionada com o time, a torcida do Bahia vaiou o time na saída para os vestiários.

Veio a etapa final e, embora os dois times buscassem o ataque, o Fortaleza era melhor, teve grande chance numa finalização de Pio na trave e merecidamente chegou ao gol aos 20 . Sobralense cruzou e Eduardo completou para a rede.

O resultado ainda classificava o Bahia e isso fez o Fortaleza se abrir de vez, rondando muito a área baiana, mas dando espaços para os donos da casa, que empatou aos 39. Thiago Ribeiro recebeu pela direita e rolou para trás, na entrada da área. Juninho veio na corrida e mandou uma bomba no ângulo de Berna. Golaço.

O Fortaleza foi para o desespero e aos 48 teve a chance de levar a decisão para os pênaltis no último lance: uma cabeçada de Eduardo bateu na trave.

- Fizemos a nossa melhor partida do ano. Criamos chances, mas falhamos em alguns momentos e acabamos, com esse empate, sendo eliminados por nós mesmo - disse Dudu Cearense, armador do Fortaleza. ao EI.

- Vamos lembrar que atuamos quase 70 minutos com um a menos. Não foi nada fácil a nossa classificação - disse Thiago Ribeiro.

Santinha vence de novo

Em Fortaleza, Ceará e Santa Cruz fizeram um jogão. Depois de um primeiro tempo equilibrado, o Ceará comandou a etapa final,  pressionando muito, vendo o zagueiro Danny Morais salvar três bolas em cima da linha e o goleiro Thiago Cardoso aparecer em dois momentos, o principal quando defendeu um pênalti cobrado por Rafael Costa. O mesmo Rafael Costa acabou sendo expulso aos 25 minutos, deixando do Ceará com dez. Aos 40 minutos, o Santa Cruz chegou ao gol quando Wallyson recebeu uma ligação direta da defesa, invadiu e chutou cruzado, definindo o 1 a 0.

- Vamos ter humildade e seguir trabalhando. Estou feliz por ter feito uma boa partida e ajudando o time a conseguir a classificação - disse o goleiro Thiago Cardoso ao EI

O técnico interino do Ceará Cristian Souza lamentou muito a eliminação.

- A classificação esteve muito perto. Dominamos e tivemos o pênalti. Mas não podemos tirar o mérito do rival, pois futebol é o aproveitamento de oportunidades e o Santa Cruz foi mais feliz - disse.

Campinense perde a invencibilidade, mas avança

No Amigão, com toda a torcida contra, o Salgueiro foi um time de guerreiros. Precisando pelo menos devolver  o 2 a 0 para levar o jogo para os pênaltis, o time começou pressionado nos primeiro minutos, se acalmou e passou a assustar o favoritíssimo Campinense. Aos 44 minutos, após uma confusão na área, Anderson Lessa foi o último a tocar na bola e fez 1 a 0 no Salgueiro.

No segundo tempo, aos 29 minutos, o Salgueiro chegou ao segundo gol e calou a torcida do Campinense numa grande jogada de Piauí que chutou sem chance para o goleiro Gleidson. Porém, aos 35 minutos, Adalgiso Pitbull, que saiu do banco, foi passando aos trancos e barrancos pela marcação de dois jogadores na área e chutou rasteiro, por baixo do goleiro Mondragon. A bola entrou devagarinho.  A torcida  fez uma grande festa com a classificação que mantém o Rubro-Negro de Campina Grande na luta pelo bicampeonato. Mas um pouco frustrada, pois o time perdeu a invencibilidade em 2016. 

- Estou dando sorte, pois entro nos jogos e deixo a minha marca. E estou feliz por mais uma vez ajudar o Campinense - disse o herói Pitbull ao EI. 

- Muitos achavam que o Campinense estava classificado de véspera. Só que mostramos que somos fortes. Não levamos, mas ganhamos por 2 a 1. Só lamento a catimba que eles ficaram fazendo. Não é a primeira vez. Eles escondem bola futebol não precisa disso - disse o atacante Anderson Lessa.