Manoel Flores, Ricardo Rocha, Parreira e Carlos Alberto Torres na CBF (Foto: Igor Siqueira)

Manoel Flores, Ricardo Rocha, Parreira e Carlos Alberto Torres na CBF (Foto: Igor Siqueira)

Igor Siqueira
09/06/2016
17:41
Rio de Janeiro (RJ)

O Comitê de Reformas da CBF aprovou nesta quinta-feira uma série de itens referentes ao calendário do futebol brasileiro de 2017.

Os Estaduais poderão ser disputados em até 18 datas, entre 29 de janeiro e 30 de abril. Mas oito datas, nesse mesmo período, foram reservadas para campeonatos regionais, entre eles a Copa da Primeira Liga, sem que haja conflito com os Estaduais.


O Brasileirão começará praticamente ao mesmo tempo da Copa do Brasil. Serão apenas nove rodadas disputadas às quartas-feiras.
No segundo semestre, o Brasileirão vai parar em dois momentos por cerca de duas semanas para a disputa das Eliminatórias da Copa-2018. No entanto, nas datas-Fifa no primeiro semestre, em março, quando não há competição nacional, a paralisação ou não vai ficar a cargo das federações estaduais.

- A preservação de 30 dias de férias e 25 dias de pré-temporada. Para quem tem memória curta, tínhamos muita dificuldade em ter a pré-temporada. Conseguimos a redução nas quartas-feiras. Conseguimos que a Série A tenha interrupção em dois períodos em setembro e outubro. Conseguimos empurrar um pouco a Copa do Brasil e vamos antecipar também a Série A, fazendo com que quase comecem junto. Estamos vendo um movimento de readequação dos Estaduais por parte das federações - disse o diretor de competições da CBF, Manoel Flores.

No enanto, um dos problemas que ainda não foram resolvidos é o conflito entre datas da Copa do Brasil e Sul-Americana, que acaba forçando os clubes a optarem por uma ou por outra.

O anúncio do novo calendário também teve a participação de Carlos Alberto Parreira, Ricardo Rocha e Carlos Alberto Torres, todos membros do Comitê de Reformas.