Torcida do Cruzeiro (Foto: Divulgação)

Torcida do Cruzeiro (Foto: Divulgação)

LANCE!
04/05/2016
08:35
São Paulo (SP) 

O futebol brasileiro teve em 2015 o seu melhor resultado financeiro desde 2003 tendo atingido um superávit de R$ 147 milhões. O bom desempenho, entretanto, só foi possível por conta dos benefícios proporcionados aos clubes pelo Profut, o programa do governo federal de refinanciamento das dívidas fiscais que oferece descontos nos valores devidos à União como contrapartida.

O levantamento abrange os números dos 20 maiores clubes do futebol brasileiro e foi feito pelo especialista em gestão esportiva e colunista do LANCE!, Amir Somoggi.

De acordo com o estudo, o Profut, que passou a vigorar em agosto do ano passado, gerou receitas financeiras que atenuaram os déficits dos clubes e que somaram R$ 685 milhões. Sem o programa do governo, o saldo do futebol brasileiro teria sido negativo em R$ 538 milhões, resultado que pode voltar nos próximos balanços financeiros.

- Os superávits elevados, por conta dos descontos do Profut, escondem déficits de mais de R$ 500 milhões, que podem aparecer em 2016 – comentou Somoggi.

O resultado positivo em 2015 foi apenas o terceiro superávit do futebol brasileiro nos últimos 13 anos. Desde que o Brasileirão passou a ser disputado no sistema de pontos corridos, em 2003, os únicos anos no azul foram 2005 (R$ 19 milhões), 2012 (R$ 35,9 milhões) e o ano passado (R$ 147 milhões).

A temporada de 2014 foi a de pior desempenho financeiro no período, com déficit de R$ 626,4 milhões. Sem o impacto positivo do Profut, o ano de 2015 teria sido o segundo pior no período com prejuízo de R$ 538 milhões.