Sport x Figueirense

(Foto: Pablo Kennedy/Futura Press)

LANCE!
11/12/2016
19:02
Recife(PE)

O Sport dependia apenas de si para permanecer na Série A.  Em casa e com a arquibancada da Ilha do Retiro lotada, o rubro-negro recebeu o Figueirense, já rebaixado, com muitos reservas e experimentando um esquema novo, o 3-6-1. Era de se imaginar que o Leão fosse vencer o jogo e assim foi feito: 2 a 0, com gols de Rogério e Diego Souza.  
 
Com o resultado, o Sport pulou para os 47 pontos e termina o Brasileirão em 14°, passando Coritiba e Vitória, que perderam, no sprint final.  Em 17°, abrindo a zona de rebaixamento, ficou o Inter, que empatou em 1 a 1 com  o Fluminense, no Rio de Janeiro 

Se o Sport empatasse, precisaria secar o Inter, mas não foi preciso. Para sobreviver, o Inter precisava vencer e secar o Sport ou secar o Vitória e ainda reverter uma desvantagem de seis gols de saldo. O Vitória tinha a tarefa mais simples: apenas um empate lhe salvava. 


O jogo

Ciente da necessidade de vitória, o Sport não deu chances para o azar e partiu para cima desde o primeiro minuto. Ainda mais quando o adversário, já rebaixado e recheado de reservas, não impunha medo.

E boas chances não demoraram muito para aparecer. Logo no primeiro minuto, Diego Souza fez um corta-luz para Ruiz. Dentro da área, o colombiano deveria finalizar, mas optou por enfeitar e deu um passe para a lateral.

Aos 8, Renê bate a falta, a zaga afasta mal, e ele mesmo bate cruzado. O goleiro Júnior Oliveira, um dos muitos reservas,  se esticou todo para fazer uma bela defesa. Pouco depois, Everton Felipe recebeu belo cruzamento da esquerda, pegou de prima, mas mandou por cima do gol.

O gol estava amadurecendo, mas ele estava guardado para o segundo tempo. Rogério, de cabeça, ainda despeçaria uma grande chance para os mandantes. Os primeiros 45 minutos terminaram com oito finalizações para um lado e zero para outro.

O Segundo tempo começou como terminou o primeiro: Sport na pressão e Figueirense batendo cabeça. E não demorou muito para o rubro-negro encontrar o caminho do gol.  Logo no primeiro minuto, Rogério passou, com um drible de corpo, por dois adversários, e experimentou de longa distância. A bola morreu no canto direito do goleiro.

Na comemoração, o atacante deu mole, tirou a camisa e recebeu um cartão amarelo. Mas, a essa altura do campeonato, fará diferença? Golaço, que não fez o Sport se desligar.  O time continuou no 220V e logo na sequência, Ruiz dominou  bonito e dá um passe sensacional por cobertura. Everton Felipe dá um toquinho cruzado, tira o goleiro, mas ela sai. 

No último sexto do jogo, os 15 minutos finais, o Figueirense resolveu mudar a cara do jogo e passou a dar um calor no Sport. Por muito pouco não saiu o empate. Á  esta altura do jogo, o Inter empatou no Rio, deixando a torcida apreensiva. Apesar disso, foi o Sport quem marcou: Diego Souza, que recebeu de Neto e só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes. Foi o seu 14° gol na competição, que lhe deu a artilharia ao lado de Fred, do Atlético-MG e Pottker, da POnte.