Marco Polo Del Nero, presidente da CBF desde 2015 (Leo Correa / MoWA Press)

Reunião que decidiu nova medida aconteceu na última semana do mês de novembro (Leo Correa / MoWA Press)

RADAR/LANCE!
08/11/2016
12:02
Rio de Janeiro (RJ)

Jogadores refugiados serão considerados atletas nacionais e não vão ser considerados estrangeiros nos clubes. A CBF emitiu um comunicado na última sexta-feira e a nova medida passa a valer em 2017.

Cada clube pode ter até cinco estrangeiros inscritos em uma competição e através dessa decisão, os times poderão contratar atletas refugiados sem se preocupar com o limite imposto. A medida é considerada uma questão de humanidade para a entidade máxima do futebol brasileiro.

- É uma questão humanitária que preocupa o mundo todo e não poderia ser diferente com o futebol. Trata-se de uma medida concreta e necessária que pode representar oportunidades a estes jogadores - afirmou Marco Polo Del Nero ao site da CBF.

Essa decisão se deve ao trabalho realizado inicialmente pela doutora Luciana Lopes, que, recentemente fez um parecer beneficiando os refugiados junto à Ferj, que, na ocasião, aprovou a entrada de refugiados haitianos no Campeonato Carioca. Em seguida a doutora fez a solicitação à CBF, que foi acatada em uma reunião no fim do mês passado.