Palmeiras x Corinthians

Também houve confusão na estação de metrô do Brás, em Guarulhos e nos arredores do Pacaembu

LANCE!
04/04/2016
17:14
São Paulo (SP)

O confronto entre facções organizadas de Corinthians e Palmeiras que terminou em morte no bairro de São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo, no último domingo, foi provocado por corintianos, de acordo com o boletim de ocorrência registrado na 63º DP, no bairro de Vila Jacuí. 

O documento obtido pela ESPN, que não traz o autor da descrição, relata que um grupo de alvinegros munidos de pedaços de paus, pedras e rojões foi de encontro aos palmeirenses que estavam na Praça Padre Aleixo Monteiro Mafra, por volta das 10h, onde também estavam alguns policias militares. 

Os torcedores do Palmeiras tentaram correr até a estação de trem de São Miguel Paulista para se protegerem. Parte dos corintianos foi atrás dos rivais, e outra parte passou a disparar rojões em direção aos policiais. 

"Repentinamente, torcedores do Sport Club Corinthians desceram pela rua José de Aguiar e rua José Dias de Miranda, correndo, armados com pedaços de pau, pedra e rojões. Tais pessoas, partiram em direção dos torcedores do Palmeiras com o intuito de provocarem confronto. Os torcedores do Palmeiras correram em direção à estação de trem de São Miguel Paulista com vistas a se abrigarem. Parte dos torcedores do Corinthians correram na mesma direção dos torcedores do Palmeiras ao passo que outros passaram a disparar com rojões na direção dos Policiais Militares", diz um trecho do boletim.

A polícia, contudo, desconhece a identidade do homem baleado e a origem do disparo. Ele tinha aproximadamente 60 anos, foi atingido no peito e socorrido no local, mas não resistiu.

O boletim ainda afirma que foram encontrados cabos de madeira, pedaços de ferro e rojões deflagrados, mas não menciona armas de fogo. Também não há informações sobre outros feridos no conflito. A PM irá utilizar as imagens das câmeras de segurança para investigar o assassinato. 

Também foram registradas confusões em Guarulhos, com vários detidos. Na estação Brás do metrô, trens foram depredados e torcedores ficaram feridos após briga generalizada e troca de bombas.  Além disso, 27 corintianos foram detidos após o Dérbi no Pacaembu, por agressão a palmeirenses na região do estádio. Segundo a TV Globo, entre eles estavam Tadeu Macedo Andrade e Leandro Silva de Oliveira, presos em Oruro após a morte do boliviano Kevin Espada em jogo pela Libertadores, em 2013.  Na época, 12 torcedores ficaram na Bolívia após o jovem morrer por um tiro de sinalizador.