LANCE!
23/09/2016
19:16
Rio de Janeiro (RJ)

A cada ano a história se repete. O futebol brasileiro é cercado por críticas às decisões da arbitragem rodada após rodada. Seja no Campeonato Brasileiro ou na Copa do Brasil. Basta uma simples pesquisa na internet para que seja encontrado um vasto material de reclamações de dirigentes com relação ao apito.

Muitas vezes mais comentada do que o próprio jogo, a arbitragem se transformou em um assunto quase prioritário no futebol brasileiro.

Após eliminação de seus clubes na Copa do Brasil, os presidentes de Vasco e Fluminense vieram a público reclamar pontualmente da arbitragem. Nas críticas, cobraram mudanças e punições na arbitragem.

Colunista do LANCE!, o ex-árbitro José Roberto Wright falou sobre o assunto. 

- O grande problema da arbitragem brasileira é a falta de renovação. Na década de 80, a Federação Carioca e a Paulista tinham pelo menos 25 árbitros de qualidade. Hoje resumem-se a dois ou três. E o pior é que não se faz a renovação e o aprendizado está cada vez pior - afirmou Wright, que não poupou críticas aos clubes:

- Nos jogos no Brasil, virou moda crucificar os árbitros, que estão errando bastante, mas mesmo quando têm razão os clubes resolvem, em caso de derrota, fazê-los de bodes expiatórios e justificar os seus insucessos.

De acordo com Wright, Vasco e Fluminense foram prejudicados nos jogos de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

- O Fluminense tem razão. O Fagner errou o chute e acertou o Richarlison dentro da área. Já o tranco do Giovanni Augusto no Cícero foi válido. O árbitro deveria, no entanto, ter punido com um tiro livre indireto, e não com pênalti. Contudo, os três impedimentos foram claros. O Vasco, ao reclamar, no jogo contra o Santos, tem razão também, pois o pênalti foi claro. O Vasco ainda pode reclamar claramente de um erro duplo do árbitro, que ignorou a falta de Lucas Lima em Alan, além do impedimento em sequência que não foi marcado e resultou no gol contra do Rodrigo.

Acompanhe abaixo as 40 partidas com arbitragem mais polêmica deste ano:
1 - Atlético-PR 2 x 1 Internacional: (24ª rodada) - Pênalti claro de Weverton em cima de Nico López. O Inter vencia por 1 a 0 naquele momento e poderia sacramentar o caminho para mais uma vitória se a penalidade fosse marcada.

2 - Internacional 2 x 1 Santos: (23ª rodada) - Arbitragem do jogo foi, no mínimo, muito estranha. O juiz Rodrigo Batista Raposo mostrou nervosismo para lidar com a partida, e determinou o rumo do jogo ao expulsar Lucas Limas, ainda no primeiro tempo, por cera. Com um a menos, o Peixe acabou sofrendo a virada no segundo tempo.

3 - Palmeiras 2 x 1 São Paulo: (23ª rodada)
- O erro foi por centímetros, mas o zagueiro Yerry Mina estava impedido no momento do lançamento no qual ele cabeceou para as redes. No momento, o Verdão perdia por 1 a 0 o clássico e o gol deu início à virada no placar. 

4 - Sport 1 x 1 Internacional: (22ª rodada) - O pênalti em Seijas, que abriu o placar para o Colorado, foi inexistente.

5 - Santos 0 x 1 Figueirense: (22ª rodada) - O zagueiro Warley colocou a mão na bola deliberadamente dentro da área. O árbitro não viu por estar encoberto, mas o bandeirinha não auxiliou nesta questão, prejudicando o Peixe. 

6 - Fluminense 1 x 0 América-MG: (20ª rodada)
- O árbitro anulou um gol legal do Tricolor Carioca. Wellington estava em posição regular quando completou para o gol um cruzamento de Gustavo Scarpa.

7 - Corinthians 1 x 1 Cruzeiro: (19ª rodada) - Um dos pênaltis mais escandalosos dos últimos tempos foi ignorado pelo árbitro Dewson Freitas. Ábila estava frente a frente com o goleiro Cássio e foi derrubado. O árbitro deu prosseguimento ao lance e ainda aplicou cartão ao argentino, punido por tentar ficar de pé após o claro toque, que deixou marcas das travas da chuteira do goleiro no joelho. 

8 - Internacional 2 x 2 Fluminense: (19ª rodada) - O juiz anulou um gol de Gum ao alegar que Cícero estava impedido. O meia do Flu não interferiu na jogada. 

9 - Chapecoense 1 x 1 Palmeiras: (18ª rodada) - Enquanto os visitantes reclamaram de impedimento no gol da Chape, os anfitriões, por sua vez, não viram falta no lance que resultou na penalidade, e consequentemente, no empate do time paulista.

10 - São Paulo 1 x 2 Atlético-MG: (18ª rodada) - O árbitro marcou um impedimento inexistente no gol do atacante Fred, que seria o terceiro da equipe mineira.

11 - Sport 1 x 1 América-MG: (18ª rodada) - O impedimento foi por menos de um metro, mas o fato é que o Coelho foi prejudicado com um gol nos últimos minutos de Mark González.

12 - Santos 0 x 0 Flamengo: (18ª rodada) 
- No último lance da partida, Caju não teve a intenção de colocar a mão na bola dentro da área, mas pela nova interpretação que está sendo imposta a arbitragem, o juiz deveria ter dado pênalti a favor da equipe carioca.

13 - Internacional 0 x 1 Corinthians: (17ª rodada) - Primeiro, Paulão deveria ter sido expulso em uma entrada violenta nas costas de Romero. O mesmo atacante foi calçado dentro da área, na hora do chute, e nada foi marcado. Mas o lance mais claro foi o chute que Balbuena desferiu na cabeça de Ariel, na entrada da pequena área, ignorado pelo juiz Elmo Alves Resende Cunha. 

14 - Vitória 2 x 3 Santos: (16ª rodada) - No gol que Dagoberto falou que a "CBF é uma vergonha", o lance só poderia ter sido reiniciado após o apito, visto que um cartão foi aplicado depois da infração. 

15 - Ponte Preta 2 x 2 Internacional: (16ª rodada) - O pior erro foi não ter validado o gol de Maycon. A bola bateu no travessão, entrou e saiu, mas o árbitro e seu auxiliar não perceberam que ela passou da linha. Além disso, a Ponte pode reclamar de dois pênaltis não marcados: na primeira etapa, quando a bola bateu na mão de Anselmo; e no segundo tempo, quando Paulão claramente derrubou Rhayner na área. 

16 - Corinthians 1 x 1 Figueirense: (16ª rodada) - Dodô driblou o goleiro Cássio, que derrubou o jogador após uma forte entrada. Jogada clara para expulsão, visto que o goleiro foi apenas na perna do meia por cima da bola e o lance também era uma chance clara de gol. Mas o juiz ficou só no cartão amarelo. 

17 - Sport 4 x 2 Grêmio: (15ª rodada) - Everton Felipe se jogou na área e o árbitro foi na dele, acabando com as chances dos gaúchos buscarem pelo menos um empate na Ilha do Retiro.

18 - Internacional 0 x 1 Palmeiras: (15ª rodada) - No fim do jogo, Zé Roberto acertou pelas costas o atacante Ariel, dentro da área, e o árbitro simplesmente ignorou o lance.

19 - Vitória 0 x 0 Fluminense: (14ª rodada) - O Tricolor Carioca foi prejudicado fora de casa, visto que o árbitro Marcelo Aparecido não marcou pênalti de Kanu em Samuel. O jogador do Vitória foi somente no corpo, deslocando o adversário dentro da área.

20 - Coritiba 1 x 0 Atlético-PR: (12ª rodada) - O goleiro Wilson saiu em uma voadora e acertou a cabeça de Deivid. O árbitro Thiago Duarte Peixoto ignorou o lance e mandou o jogo seguir.

21 - São Paulo 2 x 1 Fluminense: (12ª rodada) - João Schmidt não levou cartão no pênalti que ele cometeu, mas o árbitro Anderson Daronco deixou de dar uma penalidade máxima de Maicon em Osvaldo. A equipe carioca ainda reclama de outro pênalti de Rodrigo Caio em Cícero, que gerou dúvidas.

22 - América-MG 0 x 2 Corinthians: (12ª rodada) - O juiz assinalou um pênalti inexistente para os paulistas. No lance, a bola pegou na mão de Luciano antes e o puxão sofrido não era suficiente para derrubá-lo.

23 - Internacional 2 x 3 Botafogo: (11ª rodada) - No final do primeiro tempo, o árbitro Wilton Pereira Sampaio aplicou direto o cartão vermelho após entrada de Fabinho em Neilton. O lance não foi pra tanto e a impressão é que até o juiz se espantou com a cor do cartão que tirou do bolso. Torcida, comissão técnica e diretoria colorada reclamaram muito.

24 - Atlético-MG 2 x 1 Corinthians: (10ª rodada) - Antes de cruzar para o gol de Fred, Marcos Rocha recebeu lançamento em posição irregular.

25 - Atlético-MG 2 x 1 Corinthians: (10ª rodada) - Enquanto esperava cruzamento, Marquinhos Gabriel puxou a camiseta de Erazo na frente do árbitro.

26 - Grêmio 1 x 2 Vitória: (10ª rodada) - O segundo gol do Vitória teve origem em um pênalti que não aconteceu. Dagoberto simulou pênalti no contato leve com Bressan. No lance, o zagueiro ainda foi expulso. 

28 - Ponte Preta 0 x 4 Cruzeiro: (10ª rodada) - Juiz marcou pênalti em fraco puxão de Reinaldo na camisa de Willian.

29 - Figueirense 3 x 2 Internacional: (9ª rodada) - Pênalti que abriu o placar da vitória do Figueira foi inexistente, com o atacante forçando uma queda ao ser tocado por um adversário.

30 - Flamengo 2 x 2 São Paulo: (9ª rodada) - Calleri trombou com Márcio Araújo no meio do campo e depois seguiu livre rumo ao gol. O flamenguista tentou bloquear o são-paulino, mas o atacante empurrou o defensor. Lance discutível.

31 - Coritiba 2 x 2 Palmeiras: (8ª rodada) - Em um dos gols anotados por Leandro, a bola saiu de um cruzamento de Evandro, que estava impedido. O time paulista foi prejudicado.

32 - Fluminense 1 x 1 Grêmio: (7ª rodada) - O juiz André Castro inverteu faltas, e deixou de marcar um pênalti claro para os gaúchos, depois que o zagueiro Henrique colocou a mão na bola dentro da área, para bloquear um chute de longa distância.

33- Sport 4 x 4 Atlético-MG: (6ª rodada) - O pênalti de Durval em Robinho é discutível. Mas o que não dá pra discutir é o que o juiz Rodrigo Nunes Sá assinalou para anular um gol de Patric.

34 - Flamengo 1 x 2 Palmeiras: (6ª rodada) - Mão evidente do zagueiro rubro-negro Léo Duarte dentro da área, ao cortar um cruzamento. O duelo estava empatado até o momento.

35 - Vitória 1 x 0 Internacional: (6ª rodada) - Após dura entrada, Paulão recebeu apenas cartão amarelo. O zagueiro ainda cortou uma bola que estava entrando no gol com a mão e nada foi marcado pelo árbitro.

36 - Corinthians 2 x 1 Coritiba: (6ª rodada) - Apesar da vitória da equipe paulista, o árbitro Anderson Daronco deixou de anotar um pênalti claro em Felipe quando o placar ainda estava zerado.

37 - Palmeiras 4 x 3 Grêmio: (5ª rodada) - Bressan, que anotou o gol do time gaúcho, estava impedido no momento do toque de cabeça de Giuliano.

38 - Flamengo 2 x 2 Chapecoense: (3ª rodada) - O árbitro anotou pênalti na simulação de Lucas Gomes após carrinho de Juan.

39 - Ponte Preta 2 x 1 Palmeiras: (2ª rodada) - Apesar de Gabriel Jesus estar em posição irregular no momento do gol, quem toca na bola é o zagueiro da Ponte.

40 - Botafogo 0 x 1 São Paulo: (1ª rodada) - Gol de Centurión foi anulado por impedimento inexistente.