RADAR/LANCE!
04/04/2016
17:37
Três Corações (MG)

A partida entre Tricordiano e Tupi, válida pela décima rodada do Campeonato Mineiro, segue dando o que falar dentro da Federação Mineira de Futebol. Nesta segunda-feira, a súmula do árbitro da partida, Gabriel Murta Barbosa Maciel, foi divulgada. Nela, entre outros incidentes, é relatada uma ameaça de morte por parte do presidente do clube de Três Corações, Gustavo Vinagre, para o profissional que apitou o confronto.

- O presidente do C. A. Tricordiano, Sr. Gustavo Vinagre, durante os minutos de acréscimo do segundo tempo, tentou invadir o campo de jogo, utilizando-se das escadas do vestiário do clube dirigido por ele, sendo que só não obteve êxito em razão da ação rápida e eficaz da Polícia Militar, que foi solicitada pelo assistente nº1, Sr. Pedro Cotta. Após o término da partida, o mencionado presidente persistiu e conseguiu invadir o campo de jogo, muito alterado e aos gritos me ofendeu e ainda ameaçou de morte, quando disse em alto e bom som: “Você acha que vai vim aqui e fazer resultado? Eu vou te matar! Eu sou bandido! Vou encher seu carro de bala! Você não sai daqui hoje! Você veio fazer resultado para a Federação. Você conseguiu tudo que você queria seu safado, ladrão!” Disse também: “Você não vai receber, nunca! Nem vocês nem a Federação!” - relatou o árbitro.

No documento, Gabriel Murta ainda relata outros tipos de problemas durante o jogo como gramado ruim e até mesmo atitude hostil da torcida do mandante jogando cerveja nos jogadores reservas do Tupi.

- O gramado está em condições ruins, com irregularidades e buracos. Durante o segundo tempo, aos 31 minutos, após o gol marcado da equipe do Tupi F. C., torcedores do C. A. Tricordiano, cuspiram, jogaram cerveja e água nos atletas suplentes e comissão técnica da equipe do Tupi, de acordo com os relatos de integrantes da comissão técnica ao quarto árbitro que me informou do ocorrido via rádio. Esse fato iniciou um pequeno tumulto, só resolvido com a intervenção da Policia Militar.

Súmula
Súmula do jogo entre Tricordiano e Tupi (Foto: Reprodução)


Por fim, o árbitro relata ainda a recusa do Tricordiano em pagar as despesas para a Federação Mineira de Futebol.

- As taxas e despesas da arbitragem e quadro móvel da FMF não foram pagas. O presidente do C. A. Tricordiano, Sr. Gustavo Vinagre se recusou a assinar o borderô da partida, de acordo com representante do jogo.

A Federação Mineira de Futebol afirmou que o caso foi encaminhado para o Tribunal de Justiça Desportiva.