icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
26/08/2015
08:41

Um clássico com tanta história e representatividade no futebol brasileiro e mundial merece ter dois camisas 10 à altura. É por isso que Nenê e Ederson certamente darão um toque diferenciado no duelo entre Vasco e Flamengo, nesta quarta, às 22h, no Maracanã, pelo jogo segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. O site do LANCE! transmite em tempo real.

Nenê é cinco anos mais velho do que Ederson. Mais experiente, o meio-campista vascaíno também teve mais sucesso no Velho Continente, onde vestiu a camisa 10 do PSG, da França, por três temporadas, e é idolatrado pelos torcedores. O camisa 10 rubro-negro, entretanto, não fica tão para trás. Ederson atuou no futebol francês entre 2005 e 2012, por Nice e Lyon. Os dois se enfrentaram neste período e agora se reencontram no Maracanã.

Tanto Nenê quanto Ederson retornaram ao futebol brasileiro nesta última janela de transferências. O meia do Vasco estava sem contrato desde que deixou o West Ham, da Inglaterra, em junho. Chegou com o maior salário do elenco – quase R$ 300 mil – e apresentação sob diversos elogios do presidente Eurico Miranda. Ederson precisou rescindir com a Lazio, da Itália, antes de acertar com o Rubro-Negro. O brasileiro vestiu a camisa 10 que estava inutilizada desde o início do ano por um simples motivo: a diretoria queria achar o cara certo para assumí-la. Achou.

O técnico Oswaldo de Oliveira, que assumiu a vaga de Cristovão Borges, demitido após a derrota na semana passada para o próprio Vasco, fez questão de rasgar elogios aos dois camisas 10 antes do clássico.

– Bom demais esses jogadores terem retornado. Tanto o Nenê quanto o Ederson têm feito boas partidas. O Nenê tem feito a diferença, já o Ederson tem feito os gols aqui no Flamengo. Com certeza são jogadores que estão em campo para abrilhantar o clássico e dar mais valor ao jogo de amanhã – comentou o treinador.

Como o Vasco venceu o primeiro jogo por 1 a 0, um simples empate garante a equipe nas quartas de final. Não há critério de gols fora de casa, pois os dois jogos serão no Maraca.



Nenê ainda busca primeiro gol. Ederson já marcou três

Se Nenê ainda não conseguiu marcar o primeiro gol com a camisa cruz-maltina após três jogos disputados, Ederson não pode dizer o mesmo. O meia rubro-negro balançou três vezes as redes nos quatro jogos que disputou, e mostrou a que veio antes mesmo do que muitos esperavam.

Nenê, aliás, teve a oportunidade de marcar contra o Flamengo, no primeiro tempo do jogo da semana passada, mas chutou sem muita eficiência, apesar de estar dentro da área e com a perna boa, e facilitou a vida de César. Já Ederson fez dois gols contra o Palmeiras e um em cima do São Paulo, ambos pelo Campeonato Brasileiro. Diante do Vasco, na semana passada, ele passou em branco.

De qualquer forma, os primeiros jogos da dupla têm sido animador. Se Nenê ainda não conseguiu balançar as redes, é notório que ele levanta a qualidade do meio de campo vascaíno. Foi bem contra Coritiba e o próprio Flamengo e, como todo o time, esteve apagado diante do Goiás. Já Ederson consegue, além de jogar bem, marcar gols importantes. Junto com Emerson Sheik e Guerrero, forma um trio que pode dar muitas alegrias à torcida rubro-negra.


Um clássico com tanta história e representatividade no futebol brasileiro e mundial merece ter dois camisas 10 à altura. É por isso que Nenê e Ederson certamente darão um toque diferenciado no duelo entre Vasco e Flamengo, nesta quarta, às 22h, no Maracanã, pelo jogo segundo jogo das oitavas de final da Copa do Brasil. O site do LANCE! transmite em tempo real.

Nenê é cinco anos mais velho do que Ederson. Mais experiente, o meio-campista vascaíno também teve mais sucesso no Velho Continente, onde vestiu a camisa 10 do PSG, da França, por três temporadas, e é idolatrado pelos torcedores. O camisa 10 rubro-negro, entretanto, não fica tão para trás. Ederson atuou no futebol francês entre 2005 e 2012, por Nice e Lyon. Os dois se enfrentaram neste período e agora se reencontram no Maracanã.

Tanto Nenê quanto Ederson retornaram ao futebol brasileiro nesta última janela de transferências. O meia do Vasco estava sem contrato desde que deixou o West Ham, da Inglaterra, em junho. Chegou com o maior salário do elenco – quase R$ 300 mil – e apresentação sob diversos elogios do presidente Eurico Miranda. Ederson precisou rescindir com a Lazio, da Itália, antes de acertar com o Rubro-Negro. O brasileiro vestiu a camisa 10 que estava inutilizada desde o início do ano por um simples motivo: a diretoria queria achar o cara certo para assumí-la. Achou.

O técnico Oswaldo de Oliveira, que assumiu a vaga de Cristovão Borges, demitido após a derrota na semana passada para o próprio Vasco, fez questão de rasgar elogios aos dois camisas 10 antes do clássico.

– Bom demais esses jogadores terem retornado. Tanto o Nenê quanto o Ederson têm feito boas partidas. O Nenê tem feito a diferença, já o Ederson tem feito os gols aqui no Flamengo. Com certeza são jogadores que estão em campo para abrilhantar o clássico e dar mais valor ao jogo de amanhã – comentou o treinador.

Como o Vasco venceu o primeiro jogo por 1 a 0, um simples empate garante a equipe nas quartas de final. Não há critério de gols fora de casa, pois os dois jogos serão no Maraca.



Nenê ainda busca primeiro gol. Ederson já marcou três

Se Nenê ainda não conseguiu marcar o primeiro gol com a camisa cruz-maltina após três jogos disputados, Ederson não pode dizer o mesmo. O meia rubro-negro balançou três vezes as redes nos quatro jogos que disputou, e mostrou a que veio antes mesmo do que muitos esperavam.

Nenê, aliás, teve a oportunidade de marcar contra o Flamengo, no primeiro tempo do jogo da semana passada, mas chutou sem muita eficiência, apesar de estar dentro da área e com a perna boa, e facilitou a vida de César. Já Ederson fez dois gols contra o Palmeiras e um em cima do São Paulo, ambos pelo Campeonato Brasileiro. Diante do Vasco, na semana passada, ele passou em branco.

De qualquer forma, os primeiros jogos da dupla têm sido animador. Se Nenê ainda não conseguiu balançar as redes, é notório que ele levanta a qualidade do meio de campo vascaíno. Foi bem contra Coritiba e o próprio Flamengo e, como todo o time, esteve apagado diante do Goiás. Já Ederson consegue, além de jogar bem, marcar gols importantes. Junto com Emerson Sheik e Guerrero, forma um trio que pode dar muitas alegrias à torcida rubro-negra.