Zidane fez sua estreia no comando do Real Madrid

Zidane não estaria preocupado com punição imposta pela Fifa (Foto: Gerard Julien / AFP)

LANCE!
24/01/2016
08:10
Madri (ESP)

A impossibilidade de inscrever jogadores nas próximas duas janelas de transferências parece não preocupar muito o Real Madrid. O técnico Zinedine Zidane revelou em entrevista coletiva que o clube não deve contratar ninguém em janeiro.

- Não é necessário reforçar o elenco. Estou contente com o que temos. Somos 26 e é difícil, há jogadores que não estão sendo relacionados, não vou buscar fora o que temos dentro - disse Zidane.

A atual janela de transferências termina no dia 1º de fevereiro, prazo que o Real Madrid tem para contratar jogadores. Isso porque, a partir de fevereiro, a punição imposta pela Fifa passa a valer. Em julho de 2016 e janeiro de 2017, os Merengues não poderão inscrever nenhum atleta.

No entanto, o Real vai buscar uma medida cautelar que o liberará para se reforçar na janela do meio do ano, quando ocorrem as maiores transações. Jogadores como Leroy Sané, do Schalke, Ricardo Rodríguez, do Wolfsburg, e Rodrigo Bentancur, do Boca Juniors, são colocados como na mira do clube.

ZIDANE DEFENDE JAMES RODRÍGUEZ

O técnico do Real Madrid saiu em defesa de James Rodríguez. Zidane criticou os rumores de que o meia não estaria focado no clube espanhol.

James Rodríguez (Foto: Pedro Armestre / AFP)
James Rodríguez pode voltar a ser titular (Foto: Pedro Armestre / AFP)

- Me incomoda o que dizem de James, mas temos que deixar as especulações de lado, me interessa este James aqui, está envolvido com o que faz e não acredito no que dizem fora daqui. O vejo comprometido com o que faz todos os dias. Ele nos diz que está tranquilo, o importante é estar bem como todos os demais. Está pronto para jogar.

Apesar disso, Zidane não confirmou a presença de James Rodríguez na partida diante do Betis, em Sevilha, neste domingo. Isso porque Bale está lesionado e deve ficar fora por três semanas. O colombiano e o atacante Jesé estão na briga pela vaga deixada pelo galês.