LANCE!
22/03/2018
15:34
Londres (ING)

Nesta quinta-feira, o West Ham anunciou uma punição exemplar: o banimento eterno de cinco torcedores após invadirem o gramado da Estádio Olímpico de Londres, em partida contra o Burnley, no último dia 10, pela 30ª rodada da Premier League. Os fãs da equipe, não identificados,  protagonizaram a cena após o primeiro gol do time visitante, que acabou vencendo por 3 a 0. 

O West Ham briga contra a zona de rebaixamento na Inglaterra. Ele está em 17º, com 30 pontos em 30 jogos. Lá, caem dois times para a segunda divisão. Hoje, o 18º é o Southampton, que tem dois pontos a menos. 

O caso

Os problemas durante a partida começaram aos 20 minutos do segundo tempo, quando o Burnley fez 1 a 0, com Barnes. Um torcedor invadiu o campo e foi seguro pelo meia Noble. Logo depois, a segurança o retirou de campo.

Contudo, a atitude gerou novas invasões. Um torcedor chegou a levar a bandeira de escanteio para o meio de campo. Minutos depois, os acontecimentos foram controlados e o Burnley chegou ao segundo gol, com Wood. Por conta da má atuação e péssimo momento na temporada, a torcida se virou contra David Sullivan e David Gold, donos do West Ham, que logo depois deixaram o estádio.

Os protestos seguiram no estádio Olímpico. Os torcedores cantavam: "Não somos mais o West Ham" e "demitam a diretoria'". Um deles estendia uma faixa com os dizeres: "Nos venderam um sonho, nos deram um pesadelo", muito por conta da mudança de estádio. De 1904 a 2016, os Hammers jogavam no Boleyn Ground e se mudaram em seguida para o Estádio Olímpico, onde ainda não vêm conseguindo bons resultados.