icons.title signature.placeholder Mário Boechat
icons.title signature.placeholder Mário Boechat
27/08/2015
09:17

Na Udinese desde que deixou o Palmeiras em 2011, o brasileiro Danilo já ganhou o respeito e admiração dentro do clube. Em quatro temporadas, foi eleito por três vezes o terceiro melhor zagueiro do Campeonato Italiano.

Para o jogador, é o reconhecimento do trabalho feito no clube, principalmente nas três primeiras temporadas, quando o time conseguiu boas colocações e chegou a disputar competições europeias.

- Estou iniciando o meu quinto campeonato. Nos três primeiros, disputamos eliminatórias da Liga dos Campeões, Liga Europa... O clube tem boa estrutura, é moderno, e isso tudo ajuda no trabalho. Ficar atrás de ótimos zagueiros, como os da Juventus, que atuam juntos há muito tempo, são da seleção italiana, é o reconhecimento de um bom trabalho. A Juve chegou à final da Liga dos Campeões na temporada passada muito por causa de sua defesa, que era o ponto forte. Ter o meu nome ali me deixa muito contente - comentou.

Mas não é apenas em relação aos prêmios individuais que Danilo está bem na fita na Udinese. E foi escolhido o segundo capitão da equipe, atrás apenas do veterano Di Natale, que vai completar 38 anos e é considerado uma 'bandeira' do clube.


Di Natale é o capitão da Udinense (Foto: AFP)

- É uma responsabilidade normal. O Di Natale ainda deve jogar uma ou duas temporadas. Ele é o nosso capitão, nossa bandeira. Vejo esse reconhecimento como a conquista de alguém que venceu fora do Brasil - disse Danilo.

A Udinese tem vários brasileiros no elenco, como Marquinho, Edenilson, Guilherme, Neuton e Lucas Evangelista. Para Danilo, ter vários compatriotas no time italiano só contribui para uma melhor adaptação.

- E a gente fala menos italiano (risos). O histórico da Udinese é esse: apostar em brasileiros. E teríamos mais, se o Gabriel Silva e o Allan não saíssem. O clube está sempre de olho em atletas do país, principalmente os mais jovens.

Na Udinese desde que deixou o Palmeiras em 2011, o brasileiro Danilo já ganhou o respeito e admiração dentro do clube. Em quatro temporadas, foi eleito por três vezes o terceiro melhor zagueiro do Campeonato Italiano.

Para o jogador, é o reconhecimento do trabalho feito no clube, principalmente nas três primeiras temporadas, quando o time conseguiu boas colocações e chegou a disputar competições europeias.

- Estou iniciando o meu quinto campeonato. Nos três primeiros, disputamos eliminatórias da Liga dos Campeões, Liga Europa... O clube tem boa estrutura, é moderno, e isso tudo ajuda no trabalho. Ficar atrás de ótimos zagueiros, como os da Juventus, que atuam juntos há muito tempo, são da seleção italiana, é o reconhecimento de um bom trabalho. A Juve chegou à final da Liga dos Campeões na temporada passada muito por causa de sua defesa, que era o ponto forte. Ter o meu nome ali me deixa muito contente - comentou.

Mas não é apenas em relação aos prêmios individuais que Danilo está bem na fita na Udinese. E foi escolhido o segundo capitão da equipe, atrás apenas do veterano Di Natale, que vai completar 38 anos e é considerado uma 'bandeira' do clube.


Di Natale é o capitão da Udinense (Foto: AFP)

- É uma responsabilidade normal. O Di Natale ainda deve jogar uma ou duas temporadas. Ele é o nosso capitão, nossa bandeira. Vejo esse reconhecimento como a conquista de alguém que venceu fora do Brasil - disse Danilo.

A Udinese tem vários brasileiros no elenco, como Marquinho, Edenilson, Guilherme, Neuton e Lucas Evangelista. Para Danilo, ter vários compatriotas no time italiano só contribui para uma melhor adaptação.

- E a gente fala menos italiano (risos). O histórico da Udinese é esse: apostar em brasileiros. E teríamos mais, se o Gabriel Silva e o Allan não saíssem. O clube está sempre de olho em atletas do país, principalmente os mais jovens.