LANCE!
21/05/2016
16:08
Londres (ING)

Se no início da temporada o técnico do Manchester United, Louis van Gaal, era muito criticado pelos resultados abaixo do esperado, pelo menos ele encerra a temporada 2015/2016 com algo a se orgulhar: um título. Na prorrogação, os Red Devils conseguiram virar para cima do Crystal Palace e conquistaram a FA Cup pela 12ª vez em sua história, se igualando ao Arsenal como maior campeão do torneio mais antigo do mundo. Se foi a última partida do holandês à frente do Manchester, ainda não se sabe. Mas de qualquer jeito, ele pode sair com um troféu na bagagem.

O Crystal saiu na frente com Puncheon, aos 33 do segundo tempo. Três minutos depois, Mata empatou e levou o jogo para o tempo extra. Na prorrogação, Smalling foi expulso e poderia ter complicado o United, mas com golaço de Lingard, os Red Devils garantiram mais uma taça.

O JOGO 

O clima no estádio era maravilhoso. Praticamente 90 mil pessoas entoavam cânticos a plenos pulmões. E essa atmosfera contribuiu para que o jogo começasse muito bom. Rooney iniciou a partida na linha de quatro homens do meio campo, à frente do volante Carrick. Em toda posse de bola do United, a bola passava no pé do camisa 10. Muitos escanteios marcaram os primeiros 15 minutos. Um para o Crystal Palace e cinco para o United - todos pelo lado esquerdo.

Mas a primeira boa chance veio com o time londrino. Cabaye cobrou falta na área e Bolasie desviou, mas De Gea espalmou. A resposta veio pouco tempo depois. Mata pegou sobra na quina da área e chutou colocado, mas Hennessey se esticou todo e fez bela defesa com a ponta dos dedos. O United começou a mandar no jogo e, em cruzamento de escanteio da direita, Fellaini desviou de cabeça com muito perigo.

Em sua jogada característica, Bolasie trouxe da esquerda para o meio e soltou uma bomba, defendida por De Gea. Na sequência, por conta de uma saída de bola errada, Wickham também experimentou de fora da área, mas errou o alvo.

Na primeira vez que o centroavante Rashford resolveu sair da área, quase deu certo. O jovem fez bonita jogada pela direita, escapando de Delaney na habilidade. Depois de três pedaladas, ele rolou para o meio e Martial chegou batendo de primeira, contra o corpo de Ward, que evitou o primeiro gol do jogo.

O árbitro Mark Clattenburg, em sua primeira decisão de FA Cup na carreira, irritava os torcedores do Palace. Em três oportunidades ele parou jogadas em que o time londrino teria a vantagem no lance apenas para dar cartão amarelo para os jogadores do United.

SEGUNDO TEMPO

Os times voltaram sem mudanças para a etapa final. Mas a mentalidade dos times mudou. O Palace passou a subir a marcação e incomodar mais a saída de bola do United. E isso acabou dando mais espaço aos Red Devils. Aos sete, Fellaini recebeu de Rashford e mandou uma bomba no travessão. E foi nesse lance que o time de van Gaal iniciou sua pressão.

Poucos minutos depois, após muita troca de passe próximo à área adversária, Hennessey viu mais uma bola beijar sua parceira, a trave. Martial complementou cruzamento de Valencia e testou firme, mas não tirou o zero do placar. 

O Crystal Palace seguia praticamente apenas levando perigo em jogadas esporádicas, como lances de bola parada. Após novo levantamento de Cabaye, a bola ficou com Delaney, que, de fora da área, chutou por cima. E não à toa, o primeiro gol do jogo saiu assim.

Cruzamento de Puncheon, que acabara de entrar, em escanteio. A zaga afastou e McArthur jogou de volta para a área. O mesmo Puncheon, em posição legal, dominou e soltou uma patada, estufando as redes do goleiro De Gea. Mas o empate não tardou a sair. Três minutos depois, Rooney carregou, procurou espaço e, quando o achou, cruzou para a pequena área. Fellaini dominou mal e a bola caiu em Mata, que, de canhota, igualou o marcador. No último lance do tempo regulamentar, Zaha ganhou no alto de Smalling e chutou com força, mas a bola foi na rede pelo lado de fora.

PRORROGAÇÃO

A primeira chance dos trinta minutos decisivos veio dos pés de Zaha. Ele recebeu em ótima posição para finalizar, mas preferiu carregar um pouco mais. Acabou sendo desarmado por Smalling já perto de De Gea. Lingaard, que tinha entrado no fim do tempo normal, fez bela jogada pelo lado direito e cruzou duas vezes para Fellaini. Na primeira, o belga pegou mal. Depois, a bola desviou e passou por cima, quase enganando Hennessey.

No último lance do primeiro tempo da prorrogação, Smalling se sacrificou pensando em evitar o pior. Em contra-ataque puxado por Bolasie, na altura do meio campo, o defensor do Manchester, que já tinha amarelo, agarrou o jogador adversário pelas pernas e o derrubou, evitando que ele tivesse um campo inteiro sozinho para marcar. Expulsão correta, que não abalou o United. Pelo contrário. Logo na volta para o segundo tempo, aos quatro minutos, Lingard pegou a sobra da zaga e encheu o pé, mandando no ângulo do goleiro Hennessey. 

O Crystal não tinha tempo para lamentar e logo partiu para cima. Puncheon recebeu próximo à meia-lua e chutou colocado, à direita de De Gea. Numa das últimas tentativas do jogo, Zaha tentou cavadinha por cima do goleiro espanhol, que levou a melhor e assegurou que a taça, que não era conquistada desde 2004 pelos Diabos Vermelhos, fosse para Old Trafford.

FICHA TÉCNICA
CRYSTAL PALACE 1 x 2 MANCHESTER UNITED

Local: Wembley, Londres (ING)
Data/Hora: 21/05/16, às 13h30 (de Brasília)
Árbitro: Mark Clattenburg
Auxiliares: John Brooks e Andrew Halliday 

Cartões Amarelos: Dann, Delaney e McArthur (CRY) ; Smalling, Rojo, Mata, Rooney, Fellaini e Lingard (MAN)
Cartões Vermelhos: Smalling (15'/1ºT da prorrogação)
GOLS: Puncheon, aos 33'/2ºT (1-0); Mata, aos 36'/2ºT (1-1) e Lingard, aos 4'/2ºT da prorrogação (1-2)

CRYSTAL PALACE: Hennessey; Ward, Dann (Mariappa - 48'/2ºT), Delaney e Souare; Cabaye (Puncheon - 26'/2ºT), Jedinak, McArthur, Zaha e Bolasie; Wickham (Gayle - 41'/2ºT). Técnico: Alan Pardew

MANCHESTER UNITED: De Gea; Valencia, Smalling, Blind e Rojo (Darmian - 20'/2ºT); Carrick, Fellaini, Mata (Lingard - 45'/2ºT), Rooney e Martial; Rashford (Young - 27'/2ºT). Técnico: Louis van Gaal