Neymar (Foto: Eduardo Viana/ LANCE!Press)

Neymar está entre os três melhores do mundo pela primeira vez (Foto: Eduardo Viana/ LANCE!Press)

LEONARDO PEREIRA
01/12/2015
07:55
Rio de Janeiro (RJ)

Em setembro de 2010, quando comandava o Atlético-GO e enfrentava o Santos na Vila Belmiro, o técnico René Simões disse que ficou “envergonhado” ao ver Neymar desobedecer uma ordem de Dorival Júnior, treinador do Santos na época. Duro na crítica, René chegou a afirmar que "um monstro" estava sendo criado.

Cinco anos depois, René, que já elogiou o comportamento da joia, se alegra ao ver o craque entre os três melhores do mundo e faz uma previsão otimista:

– Os votos são orientados pelas últimas atuações. Nos últimos três meses, nem Messi e Cristiano Ronaldo tiveram desempenhos tão decisivos. Pelos números, Neymar deve ser eleito. Além de ser artilheiro e da qualidade, a quantidade de assistências faz dele ‘o cara’. Apostei na pessoa certa. Fico muito feliz - disse René, atualmente sem clube, ao LANCE!.


Na ocasião, Neymar não deixou o atacante Marcel cobrar um pênalti, como queria Dorival Júnior. Mesmo com a reclamação da craque, o Santos venceu o Atlético-GO por 4 a 2, em duelo válido pelo Campeonato Brasileiro.

Hoje,  René reconhece que o astro brasileiro amadureceu e entendeu o significado de vestir as chuteiras e ir a campo.

- A família e os gestores da carreira dele foram competentes e mostraram o que milhares de jovens atletas precisam saber. Há momento para tudo. O campo de futebol é chão, fábrica, local de trabalho e respeito. Isso não significa que você não possa se divertir. Existem dois pilares que te levam a trabalhar: a necessidade pelo emprego ou paixão pelo que faz. Neymar é um apaixonado e tornou-se um trabalhador da bola.