Apresentação - Uruguai x Chile HOME

Uruguai e Chile vão se enfrentar nesta terça-feira, no Centenário

RADAR/LANCE!
16/11/2015
16:34
Montevidéu (URU)

O Uruguai recebe o Chile nesta terça-feira às 21h, no Estádio Centenário. Para a Celeste, o retrospecto indica ótima oportunidade de recuperação para um time que vem de derrota diante do Equador. Afinal, encara um rival que enfrentou 25 vezes em Montevidéu e jamais perdeu: 18 vitórias e sete empates. Só que os chilenos têm a melhor equipe de sua história, acabou de ganhar a Copa América pela primeira vez, vem quebrando todos os tabus em 2015 e busca o fim da "maldição celeste".

Porém, muito mais do que o jogo, um assunto que vem ocupando todas as manchetes dos jornais é o reencontro do atacante uruguaio Cavani com o zagueiro Jara. Afinal, no último duelo, pelas quartas da Copa América, há cinco meses, Jara deu a famosa dedada no traseiro de Cavani, que devolveu com um empurrãozinho que Jara simulou ter sido uma agressão quase fatal. No fim, Cavani foi expulso e ainda pegou dois jogos de suspensão, desfalcando o Uruguai diante de Bolívia e Colômbia.

- É verdade que vocês querem continuar falando sobre isso? Me nego a comentar, já ouvi bobagens demais - disse o treinador Óscar Tabárez.

Só que chilenos e uruguaios só querem saber da confusão e como os jogadores se comportarão. O lateral Álvaro Pereira, por exemplo, precisou explicar se declaração que fizera após aquela partida, “ Logo vamos nos encontrar em campo novamente com Gonzalo Jara" era a insinuação de que algo poderia acontecer na partida.

- Claro que não, disse, secamente.

Pivô do caso, Cavani disse que o tempo passou e que agora todos precisam pensar no futuro e na importância da partida para ambas as seleções.

- Está superado. Eu também já cometi erros na vida - disse Cavani, completando que a torcida deveria esquecer o incidente no qual foi vítima.

Só que a imprensa uruguaia só pensa nisso e aproveita a declaração da mãe de Cavani para colocar fogo no assunto

- O que Jara fez não é um bom exemplo. E fiquei frustrada quando vi meu filho ser expulso porque teve uma reação natural quando se sofre aquilo - reclamou.

No Chile, ninguém espera ser recebido com flores.

- Imaginamos que serão 90 minutos de uma partida áspera em campo e fora dos gramados tudo se anuncia infernal - comentou o Diário AS.

- Entrevistei várias pessoas em Montevidéu, a maioria ainda se mostra irritada ou decepcionada com o que aconteceu. Um periodista me disse que depois daquele lance, passou a torcer contra o Chile, até mesmo diante da Argentina na final. E todos vocês conhecem bem o grau de rivalidade que os uruguaios têm com os argentinos - disse Rodrigo realpe, do El Gráfico chileno e que está cobrindo a partida para a publicação.

E Jara, o que diz?

- Talvez isso seja o fator de motivação para as pessoas antes desta partida, que certamente será diferente e jogada com muito mais intensidade - disse o pivô de tudo.

Para partida tão quente, o árbitro escalado é aquele considerado o melhor da América do Sul. O colombiano Wilmar Rodan, que apitou  final da Copa América-2015 entre Chile e Argentina.

Quando o assunto vai para o campo de jogo, os dois treinadores fazem questão de pregar respeito ao adversário. O uruguaio Óscar Tabárez diz que espera ver o seu rival tomando até mesmo a iniciativa da partida. 

- O Chile é excelente e temos de fazer com que as dificuldades se transforme em motivação. Sei que o Chile terá maior posse de bola, vem sendo assim. Contra a Colômbia eles tiveram 65%, contra 35% do seu rival. Mas vocês viram o placar final? Terminou 1 a 1. Muita posse pode não dizer muito - disse Tabárez.

Ainda sem Suárez, que cumpre a sua última partida de suspensão ainda por causa da "mordida" que deu na Copa do Mundo, o Uruguai tem uma baixa no meio de campo. Alvaro González, que sentiu a panturrilha esquerda no treino deste domingo e foi vetado. Seu substituo não é mistério, Corujo, que vem se saindo bem sempre que acionado pelo treinador uruguaio. Outra mudança confirmada é a presença de Rolán como parceiro de ataque de Cavani. Assim, a única incógnita Celeste está na lateral esquerda. Tabárez vem testando nos treinamentos tanto Martín Cáceres quanto Álvaro Pereira. 

No Chile, ninguém crava se o treinador Jorge Sampaoli irá mudar o esquema tático, atuando com dois zagueiros, o que já foi visto em parte do jogo diante do Brasil e contra o Peru. Se isso ocorrer, sai Silva e entra Mark González. Mas o grande mistério está na escalação ou não daquele que vem sendo o melhor jogador do Chile nestas eliminatórias: o atacante Alex Sánchez. O goleador - que foi liberado da concentração no sábado para comparecer na formatura de uma prima - vem reclamando de dores musculares e está treinando em separado. O certo é que Marcelo Díaz, desfalque contra a Colômbia, retorna ao meio de campo.

FICHA TÉCNICA

URUGUAI X CHILE
QUARTA RODADA DAS ELIMINATÓRIAS DA AMÉRICA DO SUL

DIA E HORA: 17/11/2015 - 21h (de Brasília)
LOCAL: Estádio Centenário, em Montevidéu (URU)

ÁRBITRO: Wilmar Roldán (COL)
AUXILIARES: Alexander Guzmán e Cristian de la Cruz (COL)

Uruguai: Muslera; Maxi Pereira, Coates, Godín e Álvaro Pereira (Cáceres); Sánchez, Corujo, Arévalo Ríos e Lodeiro; Cavani e Diego Rolan. TEC: Oscar Tabárez

Chile: Claudio Bravo; Isla, Medel, Jara E Mena; Díaz, Vidal, Valdivia; Mark González (Silva), Eduardo Vargas e Sánchez (Orellana). TEC: Jorge Sampaoli