Aston Villa

Aston Villa foi rebaixado pela primeira vez na Premier League (Foto: Oli Scarff / AFP)

LANCE!
21/04/2016
15:13
Birmingham (ING)

A crise no Aston Villa, já rebaixado no Campeonato Inglês, vai se estender também para centenas de famílias em Birmingham. Segundo o jornal "Birmingham Mail", o clube pretende se reestruturar e enxugar sua folha de pagamento e operar com bem menos gente. Isso quer dizer que pelo menos 500 pessoas serão demitidas.

No total, o Aston Villa tem 1600 empregados, contando jogadores, funcionários de período integral, de meio período, e outros que trabalham em dias de jogos. Entre eles deverá estar até Agbonlahor, capitão do time, que faz má temporada, como o resto do time, e tem episódios recentes de indisciplina.

Como o Aston Villa deixará de ver muito dinheiro entrando por não estar na Premier League, vai se ver obrigado a gastar menos dinheiro. Na temporada 2014/15, por exemplo, o Villa recebeu quase 70 milhões de libras (R$ 354,6 milhões) apenas de direitos televisivos. Estima-se que o total de verba que o clube vai deixar de receber vai superar as 100 milhões de libras (R$ 506,5 milhões). A diretoria espera que muitas das demissões sejam voluntárias.

- Por enquanto, todos estão de boca aberta pelo que aconteceu. Parece que os primeiros cortes serão de pessoas que trabalham no Aston Villa pela ligação com o clube, e não pelo dinheiro - disse Lee Barron, secretário regional da Trades Union Congress (espécie de central sindial da Inglaterra e do País de Gales), que compra carnês de ingressos há mais de 30 anos:

- Tivemos pessoas que deixaram a diretoria e é um total desastre. É desanimador. O que está acontecendo é inimaginável.

Dos quase 1600 funcionários do Aston Villa, 535 trabalham de forma integral, incluindo 185 jogadores e treinadores em diferentes categorias.

O Aston Villa é um dos clubes fundadores do Campeonato Inglês ainda no século 19. Com sete títulos do torneio, o time estava na primeira edição da Premier League, versão atual do torneio, e enfrenta o seu primeiro rebaixamento em 29 anos.