LANCE!
09/08/2016
18:23
Trondheim (NOR)

Sem Cristiano Ronaldo, Bale e com alguns jogadores longe da condição física ideal, o Real Madrid teve nos defensores os principais nomes na emocionante vitória sobre o Sevilla por 3 a 2, na prorrogação, nesta terça-feira, em Trondheim, na final da Supercopa Europeia. Sergio Ramos garantiu o 2 a 2 no último minuto do tempo regulamentar, repetindo a cena da final da Liga dos Campeões de 2014. E Carvajal, com um golaço aos 13 da etapa final do tempo-extra, decretou a virada. Os Merengues conquistam pela terceira vez o torneio. Os andaluzes amargam o quarto vice da competição.

Real Madrid e Sevilla foram a campo com mudanças significativas em relação à última temporada. A diferença foi a causa da transformação dos times. Enquanto os Blancos tiveram os principais nomes poupados ou afetados por lesões, os andaluzes foram afetados pelo troca-troca do mercado de transferências.

Apesar dos desfalques, os Merengues mostraram mais entrosamento e objetividade para chegar ao primeiro gol, em um lindo arremate do garoto Asensio, na entrada da área.

Real Madrid x Sevilla
Asensio é festejado por companheiros (Foto: AFP)

O Sevilla foi testando esquemas, trocas de posições e demorou para se encontrar, apesar da porcentagem surpreendente de posse de bola. Aos 30 minutos, a equipe começou a atacar e conseguiu empate após o adversário relaxar com a vantagem. Franco Vázquez pegou uma sobra e emendou no canto de Kiko Casilla.

No segundo tempo, o técnico Zinedine Zidane colocou Benzema, Modric e James Rodríguez. Os três, sem ritmo de jogo, não contribuíram muito para melhorar o desempenho do Real Madrid. O Sevilla, ao contrário, foi ganhando confiança e entendendo a proposta de Sampaoli. A virada ocorreria na metade da etapa final. Vitolo foi derrubado por Sergio Ramos na área. Konoplyanka cobrou pênalti com categoria e virou o marcador.

Real Madrid x Sevilla
Sevilla esteve muito perto do título (JONATHAN NACKSTRAND / AFP)

O atual campeão da Liga dos Campeões da Europa parecia sem pernas para reagir diante de um adversário que controlava o jogo. Faltava também criatividade. Mas Sergio Ramos estava em campo. Assim como na final da Liga dos Campeões, contra o Atlético de Madrid, em 2014 -, o zagueiro, de cabeça, levou o jogo à prorrogação.


O gol desconstruiu o Sevilla. Aos três minutos, Kolodziejczak levou o segundo amarelo e foi expulso. O Real Madrid passou a dominar o jogo pela primeira vez com mais clareza. Sergio Ramos chegou a marcar novamente, só que, desta vez, o árbitro anotou falta de ataque do capitão merengue.

A situação ficou dramática para o Sevilla. James Rodríguez e Lucas Vázquez tiveram duas chances claras. Em ambas, foram parados pelo goleiro Rico. Diante da pressão, só restou ao time andaluz ficar atrás e esperar os pênaltis. No penúltimo minuto, Carvajal saiu driblando a defesa andaluza e definiu o título para o Real Madrid.

FICHA TÉCNICA

REAL MADRID 3 x 2 SEVILLA


Local: Lerkendal Stadion, Trondheim (NOR)
Data e hora: 9 de agosto de 2016, às 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Milorad Mažić (SRB)
Auxiliares: Milovan Ristić (SRB) e Dalibor Djurdjević (SRB)
Cartão Amarelo: Carvajal, Asensio, James Rodríguez (REA); Vitolo, Kolodziejczak (SEV)
Cartão Vermelho: Kolodziejczak, 3'/1ºT P
Gols: Asensio, 21'/1ºT (1-0); Franco Vázquez, 41'/1ºT (1-1); Konoplyanka, 27'/2ºT (1-2); Sergio Ramos, 48'/2ºT (2-2); Carvajal, 13'/2ºT P (3-2)

REAL MADRID: Casilla, Carvajal, Varane, Sergio Ramos, Marcelo; Casemiro, Kovacic (James Rodríguez, 26'/2ºT) e Isco (Modric, 20'/2ºT); Asensio, Morata (Benzema, 16'/2ºT) e Lucas Vázquez. Técnico: Zinedine Zidane.

SEVILLA: Rico; Mariano, Pareja, Carriço (Rami, 5'/2ºT) e Kolodziejczak; Franco Vázquez, Nzonzi e Iborra (Kranevitter, 29'/2ºT); Kiyotake, Vietto (Konoplyanka, 21'/2ºT) e Vitolo. Técnico: Jorge Sampaoli.