icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
icons.title signature.placeholder LANCEPRESS!
21/08/2015
08:06

O Campeonato Espanhol começa nesta sexta-feira, e o mais lógico é apontar Barcelona e Real Madrid como principais candidatos ao título. E faz sentido, afinal os rivais têm alguns dos melhores jogadores do mundo, têm mais dinheiro que os outros e raramente deixam o troféu escapar. Mas para este ano, a tendência é que a distância diminua um pouco. Principalmente para Valencia, Sevilla e Villarreal. Além do Atlético de Madrid, que já tem incomodado recentemente.

Alguns números e nomes ilustram essa afirmação. O Atlético é o clube que mais gastou até agora nesta janela de transferências. Já desembolsou 126 milhões de euros (R$ 490 milhões). Boa parte do time foi mantida, e agora há os reforços de Jackson Martínez, Vietto, Savic, Ferreira Carrasco, e os retornos de Filipe Luís e Óliver. O time de Diego Simeone é apontado como favorito ao título.

O Valencia não gastou, mas gastou. Teoricamente, os Ches, agora comandados pelo magnata Peter Lim, investiram 107 milhões de euros (R$ 416 milhões). Mas por jogadores que já estavam no elenco. Por acordos, o clube já estava com eles, mas só pagaria agora. Mas esse valor pode subir bastante na semana que vem. Se o clube garantir vaga na Liga dos Campeões, reforços de peso podem chegar.

Comparados com os outros clubes, o Sevilla não gastou tanto. Foram 34 milhões de euros (R$ 132 milhões). O grande mérito dos andaluzes foi ter aproveitado oportunidades.

O time perdeu Bacca, mas reforçou bem o setor ofensivo, trazendo Immobile por empréstimo, e o ucraniano Konoplyanka de graça. Vários clubes importantes, principalmente o Liverpool, queriam o ex-jogador do Dnipro. Mariano, ex-Fluminense, também chegou. Estes três foram fundamentais para a equipe quase ter conseguido uma virada histórica contra o Barcelona na Supercopa da Europa. E ainda pode chegar o atacante Llorente.

Correndo por fora está o Villarreal. O Submarino Amarelo vem de uma boa temporada, mas perdeu jogadores importantes, como Vietto e Giovani dos Santos. Os principais reforços são Soldado e Bakambu. Este primeiro chega com a condição de liderar a equipe na temporada. No total, foram gastos 42 milhões de euros (R$ 163 milhões).

Arda Turan só pode estrear pelo Barça em janeiro (Foto: Lluis Gene/AFP)
 

Para não perder espaço para os demais times, Real Madrid e Barcelona também se reforçaram. E gastaram para isso. Os arquirrivais espanhóis se reforçaram, mas os catalães só poderão contar com os seus jogadores em janeiro, e os Merengues trouxeram bons valores, mas não "galácticos". Porém, podem acabar se tornando ao longo da temporada.

A punição que o Barça sofreu, por irregularidades em contratações de jovens, pode custar caro. O time perdeu jogadores como Pedro, Xavi e Montoya. E agora vai ficar com um elenco reduzido. No mercado, o Barcelona garantiu o turco Arda Turan e o espanhol Aleix Vidal, que vieram de Atlético de Madrid e Sevilla, respectivamente. Vão aliviar bem este sufoco. Mas só em janeiro do ano que vem.

Kovacic chega para reforçar o meio-campo do Real Madrid (Foto: Divulgação)
 

Já o Real Madrid conseguiu se planejar melhor. Trouxe o brasileiro Casemiro de volta, depois de uma grande temporada pelo Porto. Também do Dragão os Merengues compraram o brasileiro Danilo. O último a chegar foi o croata Kovacic, promessa de 21 anos que estava na Internazionale. A perda mais significativa foi a de Casillas. O eterno ídolo blanco foi justamente para o ex-time dos brasileiros que desembarcaram na capital espanhola.

Para abrir o Campeonato Espanhol nesta sexta, logo um duelo andaluz. Às 15h30 (de Brasília), o Málaga recebe o Sevilla na única partida do dia.

Amanhã o Atlético de Madrid pega o Las Palmas, enquanto o Valencia visita o Rayo Vallecano. O Barcelona estreia no domingo contra o Bilbao, e o Real Madrid também, mas contra o Sporting Gijón. Um pouco mais tarde, o Villarreal pega o Real Betis de Van der Vaart.

O Campeonato Espanhol começa nesta sexta-feira, e o mais lógico é apontar Barcelona e Real Madrid como principais candidatos ao título. E faz sentido, afinal os rivais têm alguns dos melhores jogadores do mundo, têm mais dinheiro que os outros e raramente deixam o troféu escapar. Mas para este ano, a tendência é que a distância diminua um pouco. Principalmente para Valencia, Sevilla e Villarreal. Além do Atlético de Madrid, que já tem incomodado recentemente.

Alguns números e nomes ilustram essa afirmação. O Atlético é o clube que mais gastou até agora nesta janela de transferências. Já desembolsou 126 milhões de euros (R$ 490 milhões). Boa parte do time foi mantida, e agora há os reforços de Jackson Martínez, Vietto, Savic, Ferreira Carrasco, e os retornos de Filipe Luís e Óliver. O time de Diego Simeone é apontado como favorito ao título.

O Valencia não gastou, mas gastou. Teoricamente, os Ches, agora comandados pelo magnata Peter Lim, investiram 107 milhões de euros (R$ 416 milhões). Mas por jogadores que já estavam no elenco. Por acordos, o clube já estava com eles, mas só pagaria agora. Mas esse valor pode subir bastante na semana que vem. Se o clube garantir vaga na Liga dos Campeões, reforços de peso podem chegar.

Comparados com os outros clubes, o Sevilla não gastou tanto. Foram 34 milhões de euros (R$ 132 milhões). O grande mérito dos andaluzes foi ter aproveitado oportunidades.

O time perdeu Bacca, mas reforçou bem o setor ofensivo, trazendo Immobile por empréstimo, e o ucraniano Konoplyanka de graça. Vários clubes importantes, principalmente o Liverpool, queriam o ex-jogador do Dnipro. Mariano, ex-Fluminense, também chegou. Estes três foram fundamentais para a equipe quase ter conseguido uma virada histórica contra o Barcelona na Supercopa da Europa. E ainda pode chegar o atacante Llorente.

Correndo por fora está o Villarreal. O Submarino Amarelo vem de uma boa temporada, mas perdeu jogadores importantes, como Vietto e Giovani dos Santos. Os principais reforços são Soldado e Bakambu. Este primeiro chega com a condição de liderar a equipe na temporada. No total, foram gastos 42 milhões de euros (R$ 163 milhões).

Arda Turan só pode estrear pelo Barça em janeiro (Foto: Lluis Gene/AFP)
 

Para não perder espaço para os demais times, Real Madrid e Barcelona também se reforçaram. E gastaram para isso. Os arquirrivais espanhóis se reforçaram, mas os catalães só poderão contar com os seus jogadores em janeiro, e os Merengues trouxeram bons valores, mas não "galácticos". Porém, podem acabar se tornando ao longo da temporada.

A punição que o Barça sofreu, por irregularidades em contratações de jovens, pode custar caro. O time perdeu jogadores como Pedro, Xavi e Montoya. E agora vai ficar com um elenco reduzido. No mercado, o Barcelona garantiu o turco Arda Turan e o espanhol Aleix Vidal, que vieram de Atlético de Madrid e Sevilla, respectivamente. Vão aliviar bem este sufoco. Mas só em janeiro do ano que vem.

Kovacic chega para reforçar o meio-campo do Real Madrid (Foto: Divulgação)
 

Já o Real Madrid conseguiu se planejar melhor. Trouxe o brasileiro Casemiro de volta, depois de uma grande temporada pelo Porto. Também do Dragão os Merengues compraram o brasileiro Danilo. O último a chegar foi o croata Kovacic, promessa de 21 anos que estava na Internazionale. A perda mais significativa foi a de Casillas. O eterno ídolo blanco foi justamente para o ex-time dos brasileiros que desembarcaram na capital espanhola.

Para abrir o Campeonato Espanhol nesta sexta, logo um duelo andaluz. Às 15h30 (de Brasília), o Málaga recebe o Sevilla na única partida do dia.

Amanhã o Atlético de Madrid pega o Las Palmas, enquanto o Valencia visita o Rayo Vallecano. O Barcelona estreia no domingo contra o Bilbao, e o Real Madrid também, mas contra o Sporting Gijón. Um pouco mais tarde, o Villarreal pega o Real Betis de Van der Vaart.