Presença de Neymar vai tirar espaço para um jogador sub-23 (Foto: Heuler Andrey/Mowa Press)

Neymar tem curtido férias nos EUA  (Foto: Heuler Andrey/Mowa Press)

RADAR/LANCE!
07/06/2016
10:25
Barcelona (ESP)

De férias nos Estados Unidos, Neymar não acordou com uma boa notícia nesta terça-feira. A Promotoria da Audiência Nacional da Espanha solicitou que o craque do Barcelona seja julgado, assim como o seu pai, o Barcelona e os ex-presidentes Sandro Rosell e Odílio Rodrigues. O crime pode levar os envolvidos a até dois anos de prisão.

De acordo com a rádio "Cadena SER", o motivo é uma suposta corrupção entre particulares contra o DIS, que administrava 40% dos direitos federativos do jogador. O grupo seria a principal vítima, uma vez que teria deixado de faturar uma quantia considerável na ida de Neymar para o Barcelona, após deixar o Santos, em 2013. 

A Promotoria afirma que o DIS deve ser indenizado em cerca de 3,3 milhões de euros (R$ 13 milhões). E isso é pelo fato do Barça ter supostamente simulado um contrato para pagar menos ao grupo.

O fundo de investimento recebeu 40% de 17,1 milhões de euros (R$ 68 milhões), mas era para o Barça ter pago 40% de 25 milhões de euros (R$ 100 milhões). Segundo a Promotoria, a transação custou ao clube espanhol 83,3 milhões de euros (R$ 331 milhões) e não 57 milhões de euros (R$ 227 milhões), como afirma os espanhóis.  

Logo após a informação divulgada pela emissora, a assessoria de Neymar divulgou uma nota oficial onde afirma que "as empresas e pessoas envolvidas prestarão todos os esclarecimentos necessários à Justiça Espanhola". Confira na íntegra:

"As empresas N&N Consultoria e NR Sports e as pessoas físicas citadas não foram notificadas, até então, pela Justiça Espanhola. A partir da notificação, as empresas e pessoas envolvidas prestarão todos os esclarecimentos necessários à Justiça Espanhola, como tem sido feito desde as primeiras acusações proferidas pela DIS, inclusive com a entrega de toda documentação exigida.

Com relação à acusação, gostaríamos de esclarecer que a participação da DIS nos direitos econômicos do atleta Neymar Jr. referia-se somente ao contrato mantido com o Santos FC, e foi integralmente quitado, tendo a DIS apurado lucro de cerca de 290%."