Aranguíz - Internacional (Foto: Divulgação/Internacional)

Destaque no Inter, chileno queria vitrine por 'passo a mais' na Europa e optou pelo Bayer (foto: Divulgação/Inter)

Olga Bagatini
04/05/2016
20:07
São Paulo (SP)

Charles Aránguiz virou motivo de piada nas redes sociais após o título do Leicester. Movido pela vontade de ir para um clube com chances de "brigar por títulos", o volante chileno recusou uma proposta do clube inglês em agosto do ano passado, quando vestia a camisa do Inter, e optou por assinar com o Bayer Leverkusen, apesar da proposta ser menos vantajosa tanto para o atleta quanto para o clube gaúcho. E viu, de longe, o time de Ranieri protagonizar uma campanha histórica e faturar o inédito título inglês.

Já o clube alemão, apesar de estar bem posicionado no Campeonato Alemão e brigar por uma vaga na próxima Liga dos Campeões, passou longe de erguer taças nesta temporada. Parou na fase de grupos da Champions, nas oitavas de final da Liga Europa e nas quartas da Copa da Alemanha.

Por falta de aviso não foi. Ao LANCE!, o presidente do Inter, Vitorio Piffero, admitiu ter tentado convencer Aránguiz a aceitar a proposta do mais novo "queridinho" da Europa. Os ingleses ofereceram 15 milhões de euros (R$ 55,6 milhões à época), que agradou o Inter e o Grupo DIS, que detinha 50% dos direitos econômicos do meio-campista. O Leicester também se dispôs a quintuplicar o salário anual do jogador. Apesar dos conselhos de Piffero, Aránguiz estava obstinado a rumar para o futebol alemão. 

— Aránguiz estava decidido por ele e por seu empresário a ir para o clube alemão. O valor da venda (oferecido pelo Leicester) era mais alto, o salário era melhor, mas nada do que eu disse fez ele mudar de ideia. Não houve nada que que o tirasse dessa motivação — afirmou o dirigente colorado.

O Bayer chegou a aumentar a proposta de 9 milhões para 9,7 milhões de euros. Acabou fechando por 13 milhões de euros (R$ 48,9 milhões), já que o Colorado não aceitava conversar por menos de 12 milhões de euros.

Ainda assim, o valor foi muito aquém do oferecido pelos ingleses. A ESPN apurou que o Leicester ofereceu R$ 3,8 milhões em luvas, a serem pagos na assinatura do contrato, salário mensal de R$ 720 mil e auxílio-moradia, além de outros benefícios. Aránguiz também negou proposta do francês Olympique de Marselha, que havia oferecido um valor inferior. Questionado sobre o teor das conversas com o chileno à época, Piffero foi breve. 

— Não tinha o que fazer. Ele dizia que queria títulos e preferiu o Bayer. 

Aránguiz não foi sortudo na escolha. Além de receber menos, desperdiçar a chance de entrar para a história com o time e conquistar a taça que tanto almejava, sofreu uma lesão no início da passagem no novo clube e passou mais de seis meses afastado dos gramados - só retornou no final de abril.  

O chileno não tinha como prever o futuro, mas deve carregar o arrependimento por não ter ouvido Piffero para o resto da vida.