Morata - Milan x Juventus

Morata marca o gol do título na prorrogação (Tiziana Fabi / AFP)

RADAR / LANCE!
21/05/2016
18:54
Roma (ITA)

Foi do banco de reservas que saiu a precisão digna de conquistar o bicampeonato da Copa da Itália. Um minuto após ser lançado em campo por Massimiliano Alegri, Morata conduziu a Juventus ao título, ao bater o Milan por 1 a 0, neste sábado, no Estádio Olímpico de Roma

EQUILÍBRIO DITA OS 90 MINUTOS

O início de partida foi marcado por uma forte pressão dos rossoneros.  Bonnaventura arriscou por duas vezes, e obrigou o brasileiro Neto a se desdobrar para salvar. Depois, Honda serviu bola para Kolic, que bateu por cima da trave. Acuada, a Juventus limitou-se no primeiro tempo a arriscar em cruzamentos, pouco ameaçando a área rival.

Porém, a Juventus precisou de três minutos da segunda etapa para mudar seu tom. Lemina fez o cruzamento, e Donnarumma salvou chance de finalização de Mandzukic. 

Aos 23, Pogba arriscou de longe e, após desvio em Zapata, Donnarruma teve de se desdobrar para abafar o grito de gol adversário. Quatro minutos depois, o goleiro novamente destacou-se em campo, ao salvar cabeçada de Lichsteiner. Pogba ainda teria nova tentativa parada no goleiro.

MELHOR, JUVENTUS VÊ MORATA SE CONSAGRAR

Nem mesmo o aumento de intensidade foi suficiente para transformar-se em grandes chances no primeiro tempo da prorrogação. Porém, Donnarruma novamente se sobressaiu, ao salvar finalização de Pogba. Em seguida, Bacca respondeu com uma bicicleta, rente à trave.

Porém, a volta do intervalo, a mão de Allegri pesou. Um minuto depois de entrar no lugar de Hernanes, Morata conduziu a Juventus ao título. Após cruzamento de Cuadrado, o atacante bateu rasteiro para o fundo da rede.

O Milan partiu aos trancos e barrancos, e viu Honda pedir pênalti, mas a melhor chance novamente foi da Juventus, com Pogba finalizando e Donnarumma se sobressaindo. No desespero, o goleiro nos acréscimos foi para a área rival, mas só viu Mauri finalizar rente à trave a última chance rossonera. O título ficaria nas mãos da Juventus, e com os pés precisos de Morata.