Max Kruse

Kruse foi repreendido pela diretoria (Foto: AFP / ODD ANDERSEN)

LANCE!
16/03/2016
15:41
Wolfsburg (ALE)

O atacante Kruse, do Wolfsburg, levou um belo puxão de orelhas da diretoria do seu clube. Tudo por conta de sua conduta fora das quatro linhas, já que em campo, é um dos titulares do técnico Dieter Hecking. Tudo por conta do seu vício em Nutella, além de uma polêmica envolvendo um jogo de pôquer.

Em outubro do ano passado, Kruse ganhou cerca de 75 mil euros (R$ 315 mil) no pôquer. Até aí, tudo passaria batido. O problema é que ele esqueceu o dinheiro no táxi. Avisou à polícia, não recuperou a quantia, e isso se tornou público.

Acabou sendo multado em 25 mil euros (R$ 105 mil) e ainda levou uma bronca pública. O Wolfsburg publicou uma nota lembrando que o jogador pode ter sua vida privada enquanto está em sua cama. Mas quando está em algum outro lugar, segue sendo um funcionário do clube.

- Isso é tratado internamento. Conversamos com os jogadores a cada seis meses. O objetivo é ajudar de alguma forma para que fiquem bem para jogar. Max não tem agido corretamente com algumas coisas - disse Klaus Aloff, diretor esportivo dos Lobos, ao "Bild":

- Algumas pessoas nunca viram tanto dinheiro em suas vidas, e certamente nunca em grana viva. Houve uma conversa entre eu, Max e o nosso técnico e ele foi multado. Explicamos o tipo de comportamento que esperamos dos nossos jogadores. Só espero que sirva de lição.

Para piorar, Kruse é compulsivo por Nutella, famoso creme de chocolate com avelã. Em janeiro, durante a intertemporada do Wolfsburg em Portugal, eles repararam no vício do atacante pelo doce durante o café da manhã, e também recomendaram que se controle.