Wanda Nara ao lado do atual marido Mauro Icardi (Foto: Divulgação)

Mauro Icardi posa para foto ao lado da mulher, Wanda Nara, ex de Maxi López (Foto: Divulgação)

Alex Sabino -
14/04/2016
09:00
São Paulo (SP)

Mauro Icardi espera os cumprimentos do Torino antes da partida. Um a um, os rivais lhe apertam a mão. Menos um. Quando Maxi López passa pelo camisa 9 da Internazionale, em vez de seguir o protocolo, o ignora, acaricia as partes íntimas, em sinal de desprezo pelo adversário, e vai embora.

O gesto que representa o que outros jogadores argentinos pensam sobre o atacante de apenas 23 anos. Estigmatizado, é mal visto entre os compatriotas. No caso de Icardi, a imagem fala bem mais alto do que o futebol. Apesar dos gols, suas chances de receber uma chance na seleção, em um futuro próximo, são praticamente nulas.

Tudo por causa de Wanda Nara, vedete-modelo-manequim-empresária-mulher do centroavante.

- Os outros jogadores não gostam de Icardi. Com certeza (Tata) Martino (técnico da seleção) também não. Já disse publicamente. A briga com Maxi López o atrapalha. As declarações da mulher dele também não ajudam em nada. O que é uma pena. Trata-se de um atacante muito talentoso - analisa o repórter e produtor German García, do canal de televisão TyC.

É uma trama de folhetim. Quando adolescente, Icardi era fã de López. Há uma foto do menino de 12 ou 13 anos, com a camisa do Barcelona, tirando foto com o então jogador do clube catalão. O garoto cresceu, virou profissional e amigo do antes ídolo. Viajavam juntos nas férias, acompanhados da família de Maxi, que passou pelo Grêmio em 2009.

Wanda Nara, a mulher de López, acusou publicamente o marido de traição, pediu divórcio e iniciou namoro com Icardi. Hoje estão casados.

Não é uma história nova no futebol. O meia Palhinha e o goleiro Danrlei protagonizaram disputa pela mesma mulher quando ambos jogavam no Grêmio na década de 90. O mesmo para o meia Valdo e o lateral-direito Giba no mesmo clube, mas nos anos 80.

A diferença de Icardi é que ele usou (esporadicamente ainda usa) as redes sociais para fustigar o ex-amigo e agora rival. Já fez foto em que insinua, de forma pouco disfarçada, que López é “chifrudo”. Tatuou os nomes dos três filhos de Maxi com Wanda no braço e disse considerá-los como se fossem seus. A mulher publica imagens do novo marido quase nu, coberto apenas por um lençol.

São coisas que, sinceramente, ele não precisava fazer - completa Garcia.


Tudo isso ofusca o futebol do camisa 9 e capitão da Internazionale. Nesta temporada, ele tem 14 gols marcados. Na anterior, foram 27. Claro que a seleção argentina tem uma safra invejável de atacantes e é difícil cavar uma vaga. Mas das seis peças ofensivas escolhidas por Martino para as duas últimas partidas das Eliminatórias, contra Chile e Bolívia, Icardi tem média de gols (0,48 por jogo) superior a de Lavezzi (0,11), Dybala (0,45) e Angel Correa (0,20). Entre 2014 e 2015, com 0,56 gol a cada 90 minutos, sua estatística foi melhor que a de Higuaín (0,50), por exemplo, titular da seleção.

A questão é que, por causa de Wanda Nara, do seu comportamento nas redes sociais e da briga com Maxi, Icardi não recebe oportunidade nem para ser testado.

- Os outros jogadores não o querem na seleção. Os argentinos da Internazionale, mesmo os que já não estão mais lá, não falam com ele. O que fez com Maxi não foi algo de uma boa pessoa - disse ao LANCE! o empresário de um jogador argentino na última Copa do Mundo.

Wanda Nara ficou conhecida, antes mesmo do casamento com Maxi López, por ter tido um rápido relacionamento com Diego Maradona. Um dos que condenaram publicamente o comportamento de Icardi. E receber o selo de reprovação do campeão mundial de 1986, na Argentina, é um estigma. Porque não importa quantos gols faça, o artilheiro da Inter sabe que, muito possivelmente, não será o bastante.

A única convocação aconteceu contra o Uruguai, em 2013, na última partida das Eliminatórias para a Copa do Mundo do ano seguinte. A Argentina já estava classificada. Mesmo assim, Icardi atuou por apenas sete minutos. Na pré-lista dos 30 escolhidos para o Mundial, Alejandro Sabella colocou nomes como Franco Di Santo, que dificilmente ficariam entre os 23 selecionados para viajar ao Brasil. Além de Carlos Tevez, ignorou também Icardi.

- Tevez é um atacante querido pelos torcedores. Tem defensores quando não é chamado. O torcedor argentino não conhece Icardi. Só o vê pela televisão. Não sabe muito bem quem ele é. Na fila dos possíveis chamados, há dois nomes que estão na frente de Icardi: Marco Ruben (do Rosario Central) e Wanchope Ábila (do Huracán). Se as pessoas no país se identificassem com Icardi, poderia haver algum debate quanto a isso - explica Pablo Chiappetta, editor do Diário Olé.

Tata Martino já foi questionado sobre Icardi. Disse que não estava ali para julgar o caráter de ninguém.

- Ninguém vai dizer publicamente. Mas há algo subentendido que a convocação de Icardi não seria bem vista. Pode até haver um elemento de hipocrisia nisso tudo. Mas as coisas são como as coisas são. Talvez se ele não tivesse se exposto tanto nas redes sociais... - completa o empresário de futebol.

Martino privilegia esquema tático sem um atacante de área, preferindo peças ofensivas que se movimentam para as laterais e abrem espaços. Ao contrário de Sabella, que tinha tendência maior a jogar com um “9”. Mas Higuaín era titular com um e é com outro.

- É algo quase institucionalizado que Icardi não será chamado. E a Argentina pode se dar ao luxo disso no momento - completa Ivan Sosto, produtor da Rádio Vorterix de Buenos Aires.


Se existe um consenso entre os que conhecem o marido de Wanda Nara é que ele tem o tempo a seu favor. Jovem, pode esperar as pessoas esquecerem o assunto e quem sabe, receber oportunidades no futuro, se mantiver o mesmo desempenho dos últimos anos no futebol italiano. Mas, se o vento continuar soprando para o mesmo lado, não será na Copa da Rússia, em 2018.

Icardi não costuma dar entrevistas para a imprensa argentina. Não respondeu aos pedidos para falar com o LANCE!. A última vez que falou foi para a revista El Gráfico, em outubro do ano passado.

- Eu sou uma pessoa que faço o que quero e não me preocupo com a opinião dos outros porque cada um pensa de uma forma e ninguém conhece a realidade internamente do que aconteceu (entre ele e Wanda Nara). Minhas escolhas e prioridades na vida seguramente são diferentes dos comentários de ignorantes que não me conhecem. Estou seguro que meus códigos começam em casa, respeitando minha família. E se esses códigos me levaram a ser o que sou hoje, seguirei assim por toda minha vida.

Mesmo que isso lhe custe vestir a camisa da seleção do seu país.