Messi

Messi conquistou sua quinta Bola de Ouro nesta quinta-feira (Foto: FABRICE COFFRINI/AFP)

Santi Nolla
12/01/2016
15:23
Diretor do Mundo Deportivo

Messi ganhou a sua quinta Bola de Ouro e entrou para a história como o melhor de sempre. Com estes cinco títulos nos últimos sete anos há poucas dúvidas sobre quem era o melhor jogador da história. Leo foi o craque com uma maior continuidade de excelência ao longo do tempo. Ontem, na gala da FIFA, a liderança foi incontestável.

A Gala foi melhor sem Blatter. Cristiano veio relaxado e houve bom clima entre os craques. Neymar ficou em terceiro lugar, vendo o futuro. A equipe da Fifa teve quatro jogadores do Madrid e quatro do Barça, quando os títulos os blaugranas colheram cinco das seis e Real não ganhou nenhum. Nessa equipe faltou Buffon, goleiro da Juventus, em vez de Neuer e Piqué na defesa e no meio-campo Busquets. Era difícil a entrada de Suárez porque as três posições dianteiras foram ocupadas pelos três primeiros da votação.

Havia votos curiosos. Arda Turan, Zlatan Ibrahimovic e Arjen Robben, por exemplo, votaram a favor do tridente do Barcelona. Nem Kluivert, nem Schweinsteiger e nem Godín votaram em Messi. O treinador Vicente del Bosque, como de costume, impecável: Messi, Cristiano, Iniesta. O capitão português votou como melhor treinador em Ancelotti e também Mourinho e Guardiola. No entanto, Leo não votou em Pep, mas em Luis Enrique, Sampaoli e o treinador do Atlético de Madrid, Diego Simeone. Neymar, no entanto, optou por Luis Enrique também, mas o segundo colocou Guardiola e Sampaoli no terceiro. Mas a Gala foi de Messi, o melhor de sempre.