Sterling - Manchester City x Wolverhampton

Manchester City não conseguiu marcar ao longo de 120 minutos - somando prorrogação (Foto: Anthony Devlin / AFP)

LANCE!
25/10/2017
12:05
Manchester (ING)

Com muito suor, o Manchester City avançou diante do Wolverhampton na Copa da Liga Inglesa, na última terça, após Claudio Bravo brilhar no tempo normal e nos pênaltis. No entanto, outra personagem roubou a cena, frisada depois do confronto, que ficou em 0 a 0 ao longo dos 120 minutos: a bola. 

O técnico Pep Guardiola e o meio-campista Yaya Touré não pouparam críticas à bola da competição, fornecida pela Mitre, do Reino Unido - uma alternativa às tradicionais marcas Nike e Adidas. O comandante dos Citizens chegou a afirmar que o material é "inaceitável". 

- É inaceitável. Essa bola é inaceitável para competição de alto nível. Nós jogamos com uma bola diferente. Não é Nike, Adidas, não sei, é uma marca diferente (Mitre). Não é uma bola séria para um jogo profissional. E estou dizendo isso depois de termos vencido. Como ganhei, posso dizer: não é aceitável - criticou Guardiola, em entrevista coletiva. 

- Ela é muito leve, fica indo de lá para cá, não é uma boa bola. É impossível fazer um gol com uma bola dessas, e não estou inventando desculpas. Se é para marketing, dá dinheiro, eu entendo, mas não é aceitável. A bola não tem peso, não tem nada - completou Pep.

Titular do Manchester City no confronto diante do Wolverhampton, que lidera a Championship (Segundona da Inglaterra), o marfinense Touré também foi enfático ao cornetar a Mitre. 

- Se você levar essa bola para a África, ninguém vai querer. Ela é muito ruim. Os jogadores esperam usar bolas, mas a de hoje era difícil - disse Yaya. 

EFL RESPONDE

- A bola Mitre utilizada esta temporada na Copa da Liga responde às mesmas especificações técnicas que as bola utilizadas em todos os campeonatos. Estas especificações respondem todas ao programa de qualidade da Fifa e estão de acordo com os níveis de qualidade da Fifa - disse a Federação Inglesa (EFL).

- Obviamente, as preferências são subjetivas. Globalmente, o espetáculo nas oitavas de final parece sugerir que a bola não teve qualquer impacto negativo na competição - completou o comunicado emitido pela entidade.